4 hábitos para adotar depois de começar a transição capilar

transição capilar como começar

Mudança de rotina!

Se você deseja voltar ao cabelo natural, comece interrompendo o uso de qualquer química alisante/relaxante/permanente/selagem/botox e invista em cuidados para incentivar o fortalecimento dos cabelos. Nessa fase é normal que os fios fiquem fragilizados e quebrem com mais facilidade principalmente no ponto de ligação entre a parte alisada e a parte natural que vai crescendo. Por isso mesmo, esqueça de vez hábitos ruins como pentear o cabelo embaixo do chuveiro, dormir com os cabelos molhados e usar penteados muito apertados. Evite também expor os cabelos ao calor do secador sem proteção térmica. Na hora da lavagem, prefira shampoos mais suaves e se necessário, proteja os fios da ação adstringente desse produto através do pré-shampoo.

Saiba mais em: Guia da transição capilar

Guia para escolher bem seu shampoo parte 1

Guia para escolher bem seu shampoo parte 2

Vitamina T, de tesoura!

Às vezes a gente passa meses e meses sem cortar os cabelos por falta de tempo, dinheiro ou até por medo. Eu por exemplo, uns sete anos atrás quando ainda alisava o cabelo, acreditava que meu cabelo não crescia e por isso corria da tesoura!

Cortar as pontinhas faz muito bem, principalmente se você está em transição capilar. Conforme os fios crescem, você vai notar que as pontas alisadas vão parecer mais finas e ressecadas, diferente do cabelo novo que está chegando. Uma forma de retirar as partes alisadas aos poucos e facilitar o cuidado com as “duas texturas” é realizar um corte das pontas a cada 3 ou 4 meses. Quando se sentir preparada, você pode fazer o “grande corte” (também chamado BC ou big chop), retirando todas as alisadas de uma só vez. Algumas pessoas fazem o big chop em pouco tempo, outras ficam em transição por mais de um ano até que os fios alcancem uma certa altura. Faça como achar mais adequado pra você :)

Saiba mais em: 

O que é BC, por que fazer?

Como lidar com as duas texturas na transição capilar

 

transição capilar maressa cabelo natural crespo

Minha transição capilar. Foto um com o cabelo alisado e preso. Foto dois, atualmente.

Exercite a curiosidade

Pesquise. Pesquise. Pesquise mais um pouco. Leia os rótulos, pergunte, busque opinião de profissionais qualificados, troque informações com outras mulheres de cabelo natural. Quanto mais você souber sobre o seu cabelo natural, mais fácil será cuidar dele e evitar “armadilhas”.

Eu sei que muita gente não gosta de ler, mas criar esse hábito é essencial para levar um bom produto pra casa, evitar componentes que possam causar alguma reação alérgica e saber quanto tempo deixar nos cabelos. Também é preciso ler o rótulo para saber a data de validade do produto e se organizar direitinho para não deixá-lo vencer no fundo da prateleira.

Parece bobagem dizer tudo isso, mas nos grupos que participo no Facebook todos os dias pelo menos uma mulher pergunta como usar uma máscara “x” que acabou de comprar, o que pode indicar que as pessoas não andam dando bola para as instruções presentes no próprio produto. No caso de quem pretende seguir as técnicas low poo ou no poo,  ler o rótulo ajuda a identificar componentes e evitar levar pra casa um produto “proibido” para a rotina escolhida.

Exercite a desconfiança

As buscas sobre cabelo cacheado/crespo dispararam no Google e tem muita informação rolando por aí! Mas antes de se jogar de cabeça, exercite a desconfiança quando ouvir falar de algum método milagroso de crescimento, definição ou similares. Sua saúde deve vir em primeiro lugar, por isso muito cuidado ao expor seus cabelos e seu couro cabeludo a produtos e receitas que prometem resultados  instantâneos. Na dúvida, sempre consulte um profissional.

Desconfie também de listas enormes de produtos “essenciais” que “toda cacheada/crespa deve ter”. Aos poucos você vai descobrir que não precisa de tanta coisa assim para deixar seus fios saudáveis e vai criar um filtro diante de tanta informação. No mais, seja feliz e arrasa!

Leia mais em: 

Comprar menos e comprar melhor: sobre consumo consciente e cabelo natural

Transição capilar: não se desespere

Transição capilar não é sobre ter cabelo cacheado longo

Transição capilar pela segunda vez

Jogando a real: crescimento capilar

Maressa De Sousa

Maressa, 23 anos, baiana. Mestranda em Antropologia. Ama filmes e livros de ficção e aventura. Para ela, a transição capilar marcou o início de muitas outras transformações.







comments

Comentários

Meninas do cacheia,

OBRIGADA!!!!!!! Obrigada por vcs existirem e dedicarem o precioso tempo de vcs com este site maravilhoso. Vcs foram fundamentais para fortalecer a minha vontade de enfrentar a transição capilar. Ainda estou no inicio. Minha última progressiva foi em fev/2017 e a jornada ainda é longa… não faço ideia do meu tipo capilar, quer dizer: de como ele ficará. A raiz está vindo ondulada e depois que comecei há 3 semanas a técnica Low Poo meu cabelo já melhorou muito. Minha raiz sempre vinha ressecada e agora está vindo macia. Estou fazendo cronograma capilar com foco na hidratação. Demorei um pouquinho pra iniciar a técnica em razão da ralação de encontrar produtos liberado aqui em Belém. Mas está dando tudo super certo. Estou descobrindo lojas que não conhecia e agora está começando a melhorar a busca por produtos.
Meninas sucesso sempre!!!!!! Vcs são fantásticas!!!!!! Muito obrigada!!!!!!

Que coisa maravilhosa Michele! Muito sucesso na sua transição <3

Abraços!

Parabéns meninas. O melhor blog que já li, sem publipost ou incentivo ao consumismo. Nos ajudando a aceitar o universo do nosso cabelo e a passar pela transição de diferentes formas. Obrigada por cada dica e pela clareza das informações.


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.