Big Chop

Por que tanto medo do BC, afinal?

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Mês que vem completo 3 anos de BC. Três anos que eu voltei a ser eu mesma e, principalmente, a querer e gostar de ser eu mesma. Algumas pessoas não entendem a importância dessa valorização da nossa identidade, não entendem porque a transição e o BC (big chop – grande corte) são tão valorizados.

alisamento-japones-cabelo-cacheado-danificado
Meu primeiro alisamento, dez/2009, depois de muitas progressivas e luzes. Reparem na aparência das pontas.

Fiz meu último alisamento em junho de 2010 (já havia ficado alguns meses sem fazer, mas em um momento de não satisfação com a minha aparência, bateu uma crise, e lá fui eu alisar de novo). Enquanto a cabeleireira passava o produto, bateu uma tristeza. Por que eu to fazendo isso? Por que meu cabelo precisa de alisante para ser bonito?

Eu não sabia.

Me prometi que aquela seria a última vez e que cuidaria do meu cabelo como ele é. Pagaria o que fosse num bom corte, gastaria com shampoo, mas nunca mais gastaria dinheiro com algo que detonasse meu cabelo e tirasse minha essência.

cabelo-pos-ultimo-alisamento
Cabelo um mês depois do meu último alisamento, em julho de 2010. Ainda assim usava chapinha para curvar bem as pontas e tirar a cara fake do alisamento.

Em meados de outubro, fiz uma escova-alguma-coisa no cabelo – vejam bem, eu estava alisando antes. Não sabia nada sobre transição, não sabia que bc tinha nome, só queria parar de usar química e não sabia como lidar com o cabelo meio alisado, meio raiz crescendo.

De outubro para frente, nunca mais passei nada MESMO. Não porque eu tivesse consciência do que eu estava fazendo, mas porque não queria mais e ponto. Por outro lado, secar o cabelo e passar chapinha eram rotinas diárias.

tres-meses-apos-ultimo-alisamento
3 meses depois do último alisamento, cabelo super espigado, raiz incontrolável mesmo com chapinha.

Até que janeiro chegou e não tinha mais chapinha que disfarçasse. Comecei a usar o cabelo preso (geralmente coque), depois tranças e, às vezes, escova para sair.

transicao-com-cabelo-preso
Durante a transição, usando chapinha e secador muitas vezes, mas com cabelo sempre preso na reta final.

Frequentava um salão apenas para fazer as unhas e a manicure tinha um cabelo cacheado, curto e loiro que era coisa de outro mundo. Fiquei apaixonada, mas achava que o meu nunca seria assim. Ela me mostrou quem cortava o cabelo dela. Guardei aquele rosto na memória.

Em outras idas no salão, passado alguns meses, ficava lá só observando. Aquela cabeleireira tinha mais clientes cacheadas do que qualquer outra que eu já tinha visto! Conheci duas clientes dela com o cabelo maravilhoso, de diferentes maneiras, tamanhos, volumes e cores. Eu tava apaixonada.

Conversei com ela e decidi. Vou cortar meu cabelo.

Não avisei ninguém, não fiz cronograma capilar, não sofri. Apenas fui lá e pedi “tira tudo que tiver química”. Ela o fez e assim nasceu uma nova Mariana.

primeira-foto-pos-bc
Minha primeira foto pós bc. Ainda um pouco insegura, confesso, mas extremamente feliz!

Continua… ;)

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Você também pode gostar: