O cabelo tipo 4 e a hierarquização da textura capilar

A luta pela aceitação do cabelo crespo/cacheado tem ganhado cada vez mais adeptos. Não é à toa que hoje em dia, ao andarmos nas ruas ou abrirmos o facebook, nos deparamos com tanta gente que resolveu assumir o cabelo natural. O número de grupos, páginas nas redes sociais e blogs direcionados ao cuidado e valorização desse tipo de cabelo, tem crescido bastante. E o discurso da aceitação e quebra de padrões de beleza capilar vem ganhando espaço não só na internet, mas também em outras mídias.

Mas, ainda existem muitos preconceitos que precisam ser quebrados. E pra derrubar o forninho de muita gente por aí, hoje resolvi falar de algo que julgo ser extremamente importante: ” O CABELO TIPO 4“.

cabelo tipo 4

foto: /afropunk

Antes que muita gente venha de mimimi pro meu lado; não, eu não tenho cabelo tipo 4. Mas como em todos os outros posts que escrevi aqui no blog, sempre procuro pesquisar a respeito, e passar pra vocês informações relevantes e verdadeiras. Por isso, sem essa de “você não sabe o que é ter cabelo desse tipo” (sim, eu já ouvi isso de algumas pessoas).

Os cabelos tipo 4, ou “afros“, são cabelos mais crespos, e por isso, quem os possuem são constantemente vítimas do preconceito, inclusive de pessoas que dizem levantar a bandeira da aceitação do cabelo natural. Isso acontece, porque ainda existe muita gente desinformada por aí. Mas, se você lê o cacheia, a partir de agora não vai ter mais essa desculpa. Ok?

 

  • Entendendo as diferenças do cabelo tipo 4

Dizem por aí, que o cabelo afro é duro e blábláblá… Não gente, não é! Apesar de parecerem grossos, esse tipo de cabelo é bem fininho e possui pouquíssimas escamas, por isso, não são tão brilhosos e quebram com facilidade. Mas, se forem bem tratados, eles ficam com uma textura bem macia ao toque.

  1. 4A – Esse tipo de cabelo é bem parecido com a cabelo tipo 3C, mas possui cachos mais fechadinhos que formam um “S” quando são esticados.
foto: /afropunk

foto: /afropunk

  1. 4B  –  Os cabelos do tipo 4B não formam cachinhos, eles possuem o formato de “Z” e fator encolhimento level 100000000.
Cabelo_4_b

Foto: Blog Aumenta o volume

  1. 4C – Possuem cachinhos extremamente pequenos e fechadinhos. Quase não dá pra notar e o fator encolhimento também é bastante perceptível (cerca de 75% mais curtos).

cabelo_4_c

 

  • Cabelo tipo 4 e Black Power

black_power

Uma dúvida que muita gente tem, é se cabelo tipo 4 desce ou não. Bom,  é bastante relativo. Mas no geral, a tendência é que ele cresça pra cima e a medida que vai ganhando comprimento, vai pesando, e obedecendo a lei da gravidade. Mas, como o fator encolhimento é extremo nesse tipo de cabelo (principalmente o B e o C), normalmente mesmo depois de anos de “criação de cabelos” eles acabam virando “blackões” lindos de viver!

 

  • A HIERARQUIZAÇÃO DA TEXTURA CAPILAR

cabelo_tipo_4_blog_cacheia“Que fique bem claro: não existe cabelo “melhor” ou “pior”, não existe tipo de cacho perfeito. Cada cabelo tem sua característica única e específica. Aprendam a lidar com isso!”

Hierarquizar, segundo o dicionário informal: “Ordenar ou organizar numa hierarquia.”

E por que estou dizendo isso? Porque infelizmente, tem acontecido muito entre as pessoas que possuem cabelos crespos ou cacheados.

Como se não bastasse a pressão do liso perfeito, muita gente ainda quer impor que um tipo cabelo cacheado é melhor do que o outro só por causa da textura, definição, comprimento ou formato do cacho. Sim, isso é querer hierarquizar os tipos de cabelo, e não deve acontecer em hipótese alguma. Mas infelizmente acontece.

Quem tem cachos super definidos, tem cabelos invejáveis, e quem tem cabelo tipo 4, deve mante-lo preso, ou escondido, porque esse tipo de cabelo é feio. ” Cabelo cacheado é lindo, mas quem tem cabelo crespo que não passa nem o pente, tem que ter vergonha de sair com o cabelo solto”, “tá achando que seu cabelo é cacheado? Não é, prende que ta feio.” Acreditem ou não, eu já ví comentários desse tipo, e até piores em fotos de meninas com o cabelo crespo.

Uma coisa que tem me chateado bastante, é que tenho visto muita gente que ainda não assumiu o cabelo natural, devido ao preconceito que sofrem por terem cabelos mais crespos. A maioria nem lembra de como seu cabelo era antes da química, e começam a transição ansiosa por molinhas e encaracolados. O cabelo cresce, e quando percebem que seus cabelos não são do jeito que imaginavam, caem em si. E aí vem a frustração e a vontade de desistir.

Não é à toa que existem tantos salões especializados em proporcionar cachos domados e a “beleza de ser você”. Mas até onde eu ser, a nossa luta não é para que mais e mais pessoas se sintam naturalmente lindas? Então por que padronizar um tipo específico de cacho? Por que se iludir com produtos para “abrir os cachos” ou “reduzir o volume da raiz“?  Fazer isso é enganar a si mesma, porque se for pra assumir o cabelo natural, então entre com tudo e saia de cabeça erguida, porque a beleza do cabelo afro é magnífica, e as pessoas precisam entender isso.

 

  • Aceitação
cabelo_afro_cacheia

foto: /afropunk

Mais do que parar de usar alisamentos e chapinha, assumir o cabelo afro, requer muita confiança e auto-aceitação. Antes de mais nada, pare com essa ideia de querer cachinhos super definidos e milimetricamente perfeitos. Assuma-se linda e respeite a si mesma, assim você vai estar preparada para as críticas que receberá quando colocar o pé fora de casa.

Comece o dia com uma boa dose de exibição no espelho, e diga a si mesma o quanto você é especial. Uma pessoa segura de si, não vai estar nem aí para as piadinhas e risinhos alheios. Se você aprende a quebrar os próprios preconceitos, o  resto é consequência.

As pessoas estranham o que é novo, o que é diferente. Mas é novo, porque a maioria das pessoas ainda não se dispuseram a soltar a cabeleira. Let’s Go! Vamos todos sambar na cara do preconceito. E se não quiserem nos aceitar por opção, que seja pelo cansaço!

Um beijo, :*

 

 

 

 

 

 

 

Ster Nascimento

Ster Nascimento, 22 anos. Gosto do meu cabelo cacheado, do meu descontrole sem pé nem cabeça, do meu 8 ou 80 e da minha zarreza perceptível. As vezes sou um amor de pessoa.







comments

Comentários

Achei o máximo esse post! E como ja falei em outra postagem o importante não é as molas, cachos, ondas e sim mostrar a pessoa que ela é linda, é especial com o cabelo que nasceu, naturalmente linda. Algumas dizem que alisou pq quis, mais pelo menos comigo td começou com essas indiretas desagradáveis… Aproveitando o ensejo teve uma blogueira que ela até citou sobre o termo ” cabelo Afro”http://ameseucrespo.blogspot.com.br/2012/02/afinal-que-cabelo-e-esse.html, achei super válido as coisas que ela disse… Por outro lado acho legal a classificação dos tipo de fios 1, 2, 3 ,4 pq facilita mais os cuidados, como por exemplo o meu ja descobrir como devo cuidar dos meus cabelos e com 5 meses de transição estou tendo bastante êxito :)

Oi Camila! Sim é legal a gente saber o tipo de cabelo que temos, de fato facilita o cuidado. Mas isso não deve ser prioridade quando o assunto é assumir o cabelo natural. Fico muito feliz que tenha gostado do post! ^^

Concordo. Essa classificação minunciosa só serve pra segregar e umas acharem que são melhores que outras.

Olá! Eu sempre tento entender essa tabela de tipo de cachos, mas nao consigo enquadrar o meu cabelo. Nem fico triste por isso. Acabei de tirar todo o hene q tinha no cabelo e estava perdida de como cuidar dos cachos. Mas encontrei o Cacheia! :D
Lido com o preconceito dentro de casa e na rua também rs, porque meu cabelo tem um volume moderado mas, eu gosto do VOLUMÃO rsrs… como eu sou baixinha so da pra ver cabelo kkkkk … mas eu A-DO-RO! Esse blog é TUDO DE BOM !! Beijos beijos!

Que bom que gostou daqui Rosieli. Sinta-se a vontade para fuçar e compartilhar conosco essa experiência incrível que é pisar no preconceito e se libertar. Parabéns pela determinação e pela escolha de voltar ao natural. Beijo :*

ounnnn baxinhas *-*

ounnnn baixinhas *-*

Eu pessoalmente acho o cabelo crespo o mais lindo de todos!!! Adoro o volume, a textura, tudo!! Quando vejo uma mulher na rua com esse cabelo sempre paro para olhar! O meu é ondulado infelizmente!!rs. Mas na próxima vida veio com um black!!rs. Mas infelizmente o preconceito realmente existe, ouvi isso da minha prima que sempre fez progressiva e ela me disse que só continua com isso porque ela sabe q onde ela trabalha não a aceitariam com o cabelo natural é muito ruim ouvir isso de uma pessoa que você ama e não poder fazer muita coisa, mas ainda existe muita gente boba que acha q cabelo cacheado e crespo não são elegantes, não são sérios e que não passam uma boa imagem! Temos ainda muitas lutas contra o preconceito a serem a vencidas no Brasil.

Isso mesmo Sabrina! Quanto mais pessoas assumirem suas identidades e seus cabelos naturais, mais próximo estaremos de acabar com esse preconceito. Eu espero que um dia a sua prima consiga se sentir confiante pra assumir o cabelo natural. E principalmente, que ela se sinta bem com isso. Estamos na torcida. Um beijão.

Olá, meu cabelo pelo que percebi se encaixa no tipo 4C. Bom estou em transição, desde Junho que não relaxo o cabelo e estou usando tranças afros. Quais dicas vocês podem me dar pois desejo assumir um black power.
Obrigada desde já.

Oi Daiany. Primeiramente, parabéns pela decisão. Depois, cabeça erguida e tenha orgulho de assumir quem você é. Cuide bastante do seu black, e não dê importância para os comentários desagradáveis. Tenho certeza que logo logo, você vai estar arrasando com esse blackão! beijo :*

Amei o post ! acho que é o que toda crespa precisa ouvir…meu cabelo é tipo 4a , e a partir do momento que aprendi a cuidar e a me aceitar, os comentários se tornaram irrelevantes, espero que seja assim com todas :D

Exatamente assim que tem que ser Ingrid! Coloca esse cabelo pro alto e dane-se a opinião alheia. A gente tem lutado pra que mais e mais crespas e cacheadas conscientizem-se disso. :)

Você escreveu exatamente como eu penso, participo dessas comunidades e fico revoltada com essas meninas dizendo que o cabelo de fulana tá com falta de cuidados porque precisa ter o tal do cacho perfeito, e quando vc vai dizer isso, a maioria acha q tipo “Cada um tem sua opinião e pronto”. Respeito que cada um tenha sua opinião, só não respeito a desvalorização do outro e prol dessa opinião.
òtimo texto!!!

Você está certíssima Lua! Fico feliz que tenha gostado! :)

Ótimo texto. De fácil entendimento e certeiro. Amei!!!!! ;)

Que amooor Jhecy! Fico feliz que tenha gostado. Beijo :*

Oi Ster, adorei o post. Estou em transição, falta só mais um pouco para o meu cabelo ficar totalmente cacheado. Voce é de Ilheus né?! Porque não organiza um encontro de cacheadas para trocar ideias e tal, seria um boa, não acha?

Oi Lua, parabéns pela decisão de deixar o cabelo natural, e fico feliz que tenha gostado do post. Eu não sou de Ilheus, na verdade sou do extremo sul da Bahia. Morei alguns anos em Ilheus por causa da faculdade, e atualmente moro em SC. Mas um encontro realmente seria interessante. Quem sabe qualquer dia desses não apareço por aí! ^^

Muito bom o seu blog Ster, está de parabéns. Me esclareceu muitas duvidas uso ferro,aliso e escovo meu cabelo desde pequena nem conheço meu cabelo, acredito agora que seja o tipo 4(não sei qual A,B ou C). Tinha decidido parar com a química porque estava machucando meu couro cabeludo que é muito sensível, mas agora conhecendo um pouco mais sobre o meu possível tipo de cabelo mudei de ideia, afinal eu nunca gostei do meu cabelo com aquele mega volume a única coisa que eu tinha era cabelo e mais cabelo que só me dava trabalho pra lavar e pentear e eu sempre odiei, fico pensando passei a vida toda lutando pra acabar com aquele maldito volume para agora sofrer com transição e ganhar aquele cabelo de presente, melhor ficar no alisamento mesmo.
Gosto muito do seu blog, vou continuar lendo.

Oi Thais. Bom, isso aí é uma escolha pessoal, sabe. Se vc se sente bem assim, então se joga. Mas não esqueça dos cuidados com o cabelo. Natural ou quimicados, nossas madeixas precisam sempre de atenção! Um beijo :*

Oi! É a primeira vez que vejo o seu blog e foi a luz que eu precisava, por que eu to decidida a assumir quem eu realmente sou e dos videos que assisti desde de que tomei essa decisão foram de pessoas que tem aqueles cachos divinos. E hoje mesmo minha mãe falou, ” não crie tanta expectativa por que seu cabelo não é assim e nem vai ficar” Eu fiquei meio abalada quase desisti mas to firme na minha decisão e vendo esse post me deu a base que eu queria, pelo o fato deu não saber que tipo de cabelo era o meu, e tenho certeza que é o tipo 4 só não sei qual 4 ainda kk pois estou de rasta. Muiito obrigada mesmo.! E eu tomei essa decisão no ano em que entro na faculdade e o mundo de contos de fadas acaba. e acho que agora sim eu vou ser quem eu realmente sou, com Black POWER! \o/ Obrigada mesmo amei!!

Yasmin, você não imagina o quanto fiquei feliz ao ler seu comentário. Porque era exatamente esse efeito que eu esperava. Parabéns pela sua força de vontade. Não é nada anormal ter o cabelo tipo 4. Acredite, vc vai se sentir muito mais linda assumindo sua identidade crespa. Boa sorte na faculdade. Pelo jeito esse ano vai ser novo em todos os aspectos pra você, não é mesmo! beijo :*

Amei!!!!!!! Parabéns!!!! Texto lindo, me identifiquei horrores com ele.
Meus cachos não são o tipo 4 mas mesmo assim sofri muito por não ter o cabelo liso, o primeiro momento foi deixá-los enrolados, mesmo que usasse colinha ( rabo de cavalo) quando soltava, todos diziam”seu cabelo não combina solto e blá bla bla” dai fui cortando ele, e fui percebendo que eu amava ele curto, pois, combina com o formato do meu crânio. Com minha personalidade… então ele é curto com partes compridas e sempre encrespados e toda vez que olho no espelho, penso “são meus, são assim e são lindos” não me vejo de outra forma ;) e já fazem bons 10 anos que me identifico com eles ….

Ana, que amor! Fico tão feliz quando vejo pessoas que se aceitam e são livres! Parabéns, com toda certeza você serve de exemplo pra todas que não assumem o cabelo natural com medo do que os outros pensam. bjo

[…] Porém, infelizmente, a outra face dessa reação, tem levado muita gente a se “descabelar” por aí. Deixaram e ser ludibriadas por um tipo de padrão, para se tornarem escravos de outro. Por isso, é importante sempre ressaltar, que não adianta você largar a química e a chapinha, na tentativa de obter cachos perfeitos e hierarquizar um tipo de textura capilar. […]

Adorei o post, é muito legal ter vocês estimulando as meninas por aí a se aceitarem .. sério, porque é muito difícil e eu sei bem. Tenho o cabelo tipo 4B e até hoje com tanta gente se assumindo e sempre defendendo a luta, tenho mega dificuldade de parar de relaxar. Relaxo desde criança e mesmo as mulheres cacheadas da minha família, hoje tias e avós, não aceitam seus cabelos tipo 4 e quando me dá na telha de ficar seis meses de raíz natural sou bombardeada pela família que ainda tem o preconceito de que cabelo crespo é ruim. Hoje depois de quatro anos de cabelo cacheado, ainda sou “escrava” do relaxamento. É fácil ficar me lamentando e tentar culpar a mídia, ou minha família, ou aqueles coleguinhas que fizeram bullying comigo e tanto afetaram minha auto-estima, mas não, prefiro culpar a mim mesma. Não culpar, mas saber que tudo depende de mim e mais ninguém, é um processo lento e demorado, que eu realmente espero superar. Já cheguei muito longe, deixei de lado a chapinha, larguei de mão o mega hair e tudo isso foram anos de passos pequeninos. Hoje meu cabelo tem aparência de 4A e eu o uso o mais volumoso que posso (porque assim é mais bonito haha), mas eu tenho esperança de que um dia deixarei de lado o relaxamento, que terei a coragem e a auto-estima de assumir meu 4B com orgulho.
Então Cacheia com esse texto gostaria de deixar o meu mais sincero obrigado e parabéns. Obrigada por todos os dias me fazerem recuperar um pouquinho da auto-estima perdida, e parabéns por influenciar e informar cada vez mais pessoas por aí a fora. Por fazer com que as mulheres se sintam cada vez mais bonitas do jeito que são e por mostrar pro mundo que a raça negra não é inferior a nenhuma, que somos tão bonitos quanto o padrão europeu .. que não existe padrão mais bonito do que o outro!
Bjs :)

Ana Paula, sua linda! Quer me matar do coração? Que comentário lindo, esse seu. Fico muito lisonjeada, de verdade. Por estar contribuindo para que você e outras meninas, entendam a importância de se amarem como são. Olha, é um processo muito complicado, e leva tempo sim. Mas saiba, que é uma escolha e tanto, e vale muito a pena. Continue com esse pensamento. Você é linda. E não deixe que ninguém te diga o contrário. beijo <3

oiiiiiiiiiii td bem?
AMEI o post!!!
to na duvida se meu tipo é o 4 A ou o 4 B
Há mt tempo nao queria mais usar as quimicas fortes q eu usava, havia me cansado de td e da chapinha entao…..nem se fala! Foi entao que encontrei um salao q usava esse metodo de abaixar a raiz e fiquei fazendo por um ano, até q vi q meu cabelo nao tava cacheando e estava gastando horrores. Pronto paarei pq minha história é longuissima. Para encurtar eu decidi q nao passaria mais o tal relaxante q abaixa o volume porem fiquei sem saber o q fazer com o meu cabelo (ele ta terrivel pra arrumar, ta sem forma, parte lisa, parte onduladinha) e cogitei alisar novamente daí comecei a pesquisar e ver videos q me estimularam e ontem encontrei esse blog (to AMANDO, AMANDO e AMANDO, sério!) e estou criando coragem para continuar, até mesmo cortar logo as partes lisas. As dicas sao otimas e eu nao sabia que usar por exemplo esse “abaixa raiz” atrapalhava a transição =O e agora a parte q ta onduladinha do meu cabelo ta com esse produto e nao totalmente natural.
Gostaria de mostrar uma foto pq nao consigo identificar qual tipo 4 é o meu.
Tem como vcs me ajudarem ?

Claro que podemos! Fico feliz que tenha tomado essa decisão. Continue convicta e firme. Pode enviar sua foto para blog@cacheia.com beijooo

Hahaha ..Ster é um comentário mais do que merecido, vocês aqui do blog merecem :)

Muito obriga Ana Paula.

[…] no Cacheia a gente sempre fala sobre isso; A ditadura do cacho perfeito, O cabelo tipo 4 e a hierarquização da textura capilar, Qual é o tipo do meu cabelo, Eu não sou a Taylor Swift, todos esses posts falam claramente que […]

Que post lindo! Eu sei como é difícil aceitar o cabelo natural, meu cabelo é o tipo 4a em sua maioria, pelo menos eu acho, tenho 3 meses de bc, mas ainda me confundo um pouco com as texturas do meu cabelo. Foi um processo longo e difícil, mas tive o apoio de uma pessoa muito importante para mim. No começo deixei a chapinha, depois de um tempo a escova, depois o relaxamento, e fiquei em transição por 10 meses, as pessoas não acreditavam que eu teria coragem, algumas me aconselharam a “fazer alguma” coisa no cabelo. Eu me surpreendi quando decidi cortar depois de dez meses e as vezes não acredito que consegui. Nós crescemos cheias de traumas pelo preconceito e com visões erradas a respeito do cabelo crespo. Não é fácil conviver com o preconceito mas aprenderei a enfrenta-lo pois estou tão feliz com meu cabelo :) Beijos, desculpa pelo texto

Não. Parabéns pelo texto! Você está certíssima. Eu fico muito feliz em encontrar mulheres emponderadas como você. Continue assim. Seu cabelo é lindo. VOCÊ É LINDA! E nunca permita que te digam o contrário.

Oii..Eu uso rastafári, e quero muito tirar, pois uso a mais de 4 anos…então acho q não vou passar muito pela transição, pois está totalmente virgem sem química nenhuma. Minha dúvida é; eu só tiro e começo com a restruturação e outros atos de hidratação? Pq minha cunhada disse q tem uma tal de permanente q cacheia. Mais com certeza tem química né.!? Então eu só tiro o rasta e pronto? Ou começo com algum tipo de tratamento sem química né rsrs…bjosss aguardo respostas ;*

Oi Mary! Tudo bem? Permanente é química sim. A primeira coisa que você precisa fazer é aceitar e enteder a estrutura do seu cabelo. Depois você vai começar a cuidar dele. Dá uma olhadinha nesse post sobre cronograma capilar: http://cacheia.com/2013/11/cronograma-capilar-sos-cabelo/ . Temos também muitas dicas e receitas para cuidados com o cabelo! Fique a vontade e seja bem vinda! Bjoo

Vamos todos sambar na cara do preconceito. E se não quiserem nos aceitar por opção, que seja pelo cansaço!

Isso aí, Liz! ;)

[…] de mudanças pra ser perfeito, aceite ele com todas as características que tem. Nada de querer hierarquizar um tipo de textura, ou ficar se “descabelando” por causa de falta de definição, frizz, muito ou pouco […]

ola gente amei as dicas meu cabelo é bem crespo acho q é o 4c to em transição, to a 4meses sem quimica por causa do fator encolhimento eu nao fiz o BC meu cabelo esta com 4 dedos de cabelo natural so q so da p perceber qdo eu faço chapinha ele sem chapinha fica muito curto e confeso q sinto muita vergonha mas queria muito ter coragem de corta :( Mas vou espera ate o fim do ano e vou corta, brigada pelas dicas foram otimas.BJUS

Oi Priscila, fico muito feliz que tenha gostado! Se você ainda não se sente segura pra o BC, não precisa pressão. Tudo tem seu tempo. Mas tenho certeza que você vai amar, é libertador! Um beijooo sua linda. Que Papai do Céu te abençoe. :)

Olá, tenho 31 anos e apenas agora estou pensando em deixar meu cabelo natural. É muito difícil tomar a decisão, pois nem sei como é meu cabelo (acho que 4B ou C), lembro que quando criança minha mãe me levava no salão para passar “pasta”, sempre fui criticada por toda a família por causa do meu cabelo. Minha mãe uma vez disse que meu cabelo era igual vassoura, e isso dói muito em mim até hoje. Estou indo no salão Beleza Natura há 5 meses, mas dá mesma, é uma química e quero muito sair desse ciclo vicioso. Estou vendo muitos blogs com o assunto, e gostei muito do seu post, da sua escrita e da maneira como vc interage com seu público. Estou reunindo força e coragem para me assumir, mas ainda temo a opinião dos outros, infelizmente. Quero agradecer a vc e todas as outras pessoas que vejo em prol do movimento de aceitação do cabelo. Acredito que daqui há uns bons anos muita coisa já vai ter mudado em relação a aceitação do cabelo. Sou casada e sempre dizia para o meu marido: espero que a nossa filha puxe o seu cabelo! É muito preconceito e baixa auto estima, né? Mas agora sei que, se tivermos uma filha e ela puxar o meu cabelo, vou saber como cuidar do crespinho e se sentir bem com ele. Estou no caminho da transição, mas ainda preciso de mais tempo. Vou ficar sem química, tratar e ver o que acontece. Teve um post que vi, não lembro onde, que a blogueira dizia: “aceite o seu cabelo, ele vai te surpreender”.
Obrigada.

Oi Isabela, que amor esse seu comentário. Acredita que me emocionei! Eu sei o que é isso que você está falando, minha irmã tem o cabelo tipo 4, e ela sempre sofreu com isso. Meu pai quando ela era menorzinha, nem deixava ela ficar com o cabelo solto, fora os comentários que ela ouvia das outras pessoas. Infelizmente, ainda há muito preconceito, principalmente contra o cabelo tipo 4. Mas sabe isso que você falou, de daqui a alguns anos muita coisa vai mudar? É exatamente isso que me move à falar sobre a aceitação do cabelo crespo. Eu não quero que as gerações futuras sejam vítimas da opressão, escrava de padrões. Eu quero ver muitas mulheres felizes e satisfeitas com seus cabelos naturais. Tenho certeza que essa blogueira está certíssima. A partir do momento que você assume uma postura diferente em relação a si mesma, a forma que você enxerga o mundo muda completamente. E você se surpreende não só com seu cabelo, mas com muitas outras questões que antes passavam despercebido. Você é uma mulher linda, que carrega consigo as marcas de um padrão de beleza cruel. Mas o bom, é que nós mulheres estamos acordando. E estamos revolucionando o mundo. Principalmente o “nosso mundo”.

Verdade Ster, você está no caminho certo do seu propósito. Parabéns, assim será possível grandes mudanças. Que Deus te abençõe.

Amém Isabela! Muito obrigada. <3

Olá Ster. Acho legal o seu post apesar de não gostar desta classificação de cabelos. Acho que aqui no Brasil por sermos mestiços é muito complicado se enquadrar em uma categoria. Quando decidi deixar meus cabelos naturais foi mais uma consequência de um processo de aceitação de mim mesma muito maior. Nem imaginava que existiam todos estes blogs. Realmente vocês prestam um grande serviço. Entretanto, já vivi um tanto para não acreditar em classificações rígidas. O estar no mundo é mais complexo que caixinhas A, B e C. Isso vale para tudo. O legal é ir conhecendo o seu cabelo e lidando com ele. Para mim não é um processo lento e gradual. Fiz um ano de cabelo natural e ainda tenho muito que aprender. É isso aí.

Também procuro não me prender muito a classificações. E sim, todo dia aprendo algo novo sobre o meu cabelo, e o melhor disso, é que influencia bstant na forma que vejo o mundo e a mim mesma. ^^

Preciso fazer um desabafo!
Minha história não é diferente de tantas outras que já li por aí. Uso química no cabelo desde que me entendo por gente e, sem conhecer realmente o meu cabelo natural, entrei na transição decidida a assumir minhas raízes. Ainda assim, comecei esse processo inspirada (iludida) pelo cabelo de uma amiga crespa que tem o cabelo maravilhoso, que faz muito sucesso no Instagram, mas que definitivamente é bem diferente do meu.
Estou há nove meses em transição e o processo está sendo difícil. As texturizações simplesmente já não funcionam mais como antes, vivo de cabelo preso e a minha autoestima está muito abalada. A ideia do big chop me seduz e me assusta ao mesmo tempo, principalmente por não saber como, afinal de contas, meu cabelo natural é. Eu sei, no entanto, que ele está entre o 4B e o 4C, mais para o 4C e, ainda que eu esteja em um processo de trabalhar minha aceitação, ao perceber que o meu cabelo não faz a linha Sheron Menezes, fiquei frustrada e preocupada se daria conta. Sigo firme na transição, mas por vezes me pego tentando “preparar” as pessoas à minha volta para o inevitável momento do big chop. Sei que eu tenho que me bastar e que não devo tentar agradar aos outros, mas na prática não é algo tão simples assim de exercitar. Eu confesso que a opinião dos outros ainda me afeta, e muito, principalmente daquelas pessoas mais próximas (família e namorado), e, na realidade, não tenho quase ninguém me apoiando nesse processo de cabelo natural. Claro que quando comecei a transição e passei a fazer as texturizações, todos se encantaram com o meu cabelo cacheadão (quando ainda dava um resultado legal), mas eu me pego sempre preocupada em esclarecer para as pessoas que esse ainda não é meu cabelo natural, mas sim um cabelo alisado e texturizado, o que é bem diferente.
Estou passando por dias difíceis e avaliando as minhas opções. Ultimamente, fico repetindo para os mais próximos o quão difícil tem sido e a vontade que sinto de passar logo a tesoura e me ver livre da transição, mais buscando apoio que qualquer outra coisa, mas não é isso que encontro. Meu namorado, em especial, fica muito contrariado quando falo em cortar o cabelo e explico que é inevitável e a reação dele me incomoda profundamente. Não é que eu quero que ele seja hipócrita, mas gostaria que ele me apoiasse e me incentivasse, entendendo que a questão da aceitação do cabelo natural não é meramente estética pra mim. Hoje, em especial, tivemos uma briga muito feia. Ontem estávamos em um barzinho e tinha uma moça com um black natural, muito bonito e bem cuidado, e o cabelo era daquele tipo menos bem aceito: 4C. Pois bem, aproveitei a oportunidade pra mostrar para o meu namorado como meu cabelo natural provavelmente ficaria e ele reagiu de imediato dizendo algo do tipo: “Não viaja, esse cabelo está horrível, mal cuidado, se for pra deixar assim é melhor vc alisar!”. Eu tentei rebater dizendo que o cabelo não estava mal cuidado, pelo contrário, mas ele me disse que estava na cara que aquele cabelo estava sujo e que o meu não ficaria “daquele jeito”, a menos que eu não cuidasse direito. Foi difícil pra mim ouvir isso, na verdade decepcionante. Eu tentei explicar que existem tipos e tipos de cabelo, falei sobre o tipo 4c, que o aspecto não é o que estamos acostumados a ver, justamente porque poucas pessoas o assumem, e que a estrutura do cabelo não muda simplesmente com uma hidratação, mas ele simplesmente não quis me ouvir. Eu mandei o link deste post aqui, mas ele não leu até a parte que eu queria, só olhou as fotos. O mais frustrante pra mim é que o meu namorado é negro, com o cabelo “4Czíssimo”, e uns meses atrás, quando resolveu deixar o cabelo crescer por um tempo, eu fui a pessoa que mais o apoiou e elogiou. Falei que esse tipo de comentário, que associa o cabelo crespo a cabelo sujo e mal cuidado, era preconceituoso e que era pior ainda ouvir isso de um preto, mas sabe quando a pessoa tá em negação? Enfim, perdoem o tamanho do texto, mas eu precisava desabafar, porque, como eu disse, estou numa fase de baixa auto-estima e insegurança, e não precisa de muito para me abalar. =/

Miriam, você não precisa se desculpar pelo texto. ok? Eu entendo você, e sei que apesar de tantos discursos sobre aceitação e valorização do cabelo afro, na prática é muito mais complexo. Porque tratamos com pessoas que sentem, choram, se frustam. É muito triste saber que alguém tão importante pra você reage tão negativamente à esse momento tão importante pra você. Mas olha, nossas opiniões são construídas sabia? Todo o histórico social, político e cultural influencia na nossa forma de pensar. Por isso, muita gente vê o cabelo crespo de forma tão ruim. Mas esse é o momento de você erguer a cabeça e se empoderar. De tentar ser forte. Mostrar que seu cabelo, e a forma que você se vê, vai muito além dos padrões estabelecidos. Você é linda e tem que se ver assim. O resto, ou se acostumam com isso, ou permanecem frustrados. Essa semana vai ter um post especial, “Papo 4c”, om várias garotas que possuem esse tipo de cabelo. Vem conferir! Sempre que quiser desabafar, pode correr aqui que a gente sempre vai tentar ajudar, ok? Um beijooo :*

Ster,
Vc entendeu exatamente o que eu quis dizer e foi muito querida nas suas colocações.
Obrigada,
Beijos

Ouuun! Eu é que agradeço! <3

Oi Miriam, achei muito profundo o que escreveu. Reflete parte das situações que vivenciam quem decide passar para o cabelo natural. Eu mesma ainda não consegui e, vejo que meu marido ainda não aceitou. Sempre falo em cortar o meu cabelo e isso já é motivo para ele desgostar. Estou indo aos poucos, de 2 em 2 meses corto um pouco e como estou lendo muito a respeito de cabelo crespo, expliquei para ele o tipo 4 e às vezes mostro pessoas na rua para dizer como o meu ficaria e ele sempre responde que o meu cabelo não ficaria daquele jeito. Ele gosta do cabelo da Sheron Menezes e tenho quase certeza que o meu não ficaria como o dela. Difícil né? Dói muito, mas basta ter coragem, começar, tratar muito bem o cabelo e seguir em frente. Quem apoiar bem, e quem não quiser apoiar não há o que fazer. Mas entendo a questão da opinião dos outros, pois ainda também me preocupo. Desejo força e coragem em sua transição.
Abraço forte.

<3

Estou em transição e tudo que quero é ser eu mesma, em todos os aspectos, aceitar e amar as características que Deus me deu!

É isso aí, Paula!

Se precisar de ajuda, conte com o Cacheia!

Bjs!

[…] meninas crespas lindas para falar sobre o tipo 4C. Tempos atrás a Ster falou aqui no blog sobre a hierarquização de texturas e pensei nessa postagem como mais um modo de abordar o assunto e chamar atenção para um aspecto […]

[…] cinco pessoas lindas para falar sobre o tipo 4C. Tempos atrás a Ster abordou aqui no blog a hierarquização de texturas e pensei nessa postagem como mais um modo de tratar do assunto e chamar atenção para um aspecto […]

Estou em transição a 7 meses, como aliso meu cabelo desde os 7 anos não consigo lembrar de como era meu cabelo, mas hoje a raiz está encaracolando bem, mas por ser 4a, tem bastante volume, lido com o preconceito dentro de casa e é bem difícil principalmente estando em transição, estou pensando em fazer o big chop mas minha família não aceita eu ficar com cabelo curto, mas o Cacheia tem me ajudado muito! Obrigada!!

Oi Cíntia, fico feliz em saber que mesmo diante dessa situação voce permanece firme e sabe exatamente o que quer. Você é linda, e seu cabelo natural também é. Continue focada e lembre-se que antes de tudo você precisa se amar. Quanto ao preconceito… ignora! A melhor forma de lidar com ele, é não se abater. :)

[…] O cabelo tipo 4 e a Hierarquização da textura capilar […]

[…] Sugestões de leitura: Tipo de Cacho – como identificar o seu + dicas , A ditadura do cacho perfeito , Eu não sou a Taylor Swift , O cabelo tipo 4 e a hierarquização da textura capilar […]

queria saber como eu sei se meu cabelo e 4c ou 4 black power como eu fico sabendo?

Blackpower é um estilo, Jonathan. 4C é um tipo de cacho.

Já fiz muita coisa no meu cabelo tentando abaixar meu volume, mas resolvi assumir meus cachos, logo no começo chegaram até falar pra minha mãe que ela cuidava do cabelo dela e deixava eu sair na rua com meu cabelo horrível (quando eu comecei tinha 15 anos), só que quando comecei eu fazia uso de relaxante para”soltar os cachos ” mas como tenho um cabelo muito fino, o que aconteceu foi que, com o tempo meu cabelo foi alisando. Agora comecei a deixa-lo crescer naturalmente, sem química nenhuma, mas infelizmente, a pessoa que cortou meu cabelo deixou ele torto e como está muito curto não dá pra “recortar” (eu até tentei mas só estragou mais) pensei em desistir completamente de tudo, voltar ao alisamento, parei de hidratar, de cuidar… mas depois de ler esse post mudei de ideia, vou voltar a cuidar dos meus cachos e quem sabe, em breve meus cabelos estejam compridos novamente… Obrigada meninas!

Oii Ellen, fico muito feliz em tê-la ajudado. Olh, esse tipo e coia realmente desanima a gente. Mas não desiste. No final vale muito amis do que você imagina. Sempre que precisar, corre aqui, tá? Beijoo :*

Estou indo bem com minha transição, mesmo com olhares estranhos , não estou nem aí. Até meu esposo pegou uma foto antiga onde eu estava alisada e disse: prefiro assim…. pode preferir a vontade, não pretendo mais.

Oi Aldenize, é uma ótima escolha, apesar de difícil. É importante você se manter segura e ter foco. Não se importe com o que os outros vão pensar, pense em como você se sentirá. Beijoo :*

Olá. Decidi deixar a juba crescer a uns 5 meses e já está num tamanho considerável ( cresce muito rápido ). Faço parte do seleto grupo de pessoas possuidoras do cabelo 4c. À princípio eu não fazia ideia de como isso funcionava. Ainda tinha esperança de que meu crespo se tornasse um cacheado bem daora. Infelizmente, estou quase desistindo. Todas as pessoas a minha volta repreendem tal “estilo” e eu estou ficando sem vontade de continuar. Minha dúvida é se há alguma forma de mudar a natureza do meu cabelo. Táticas como no/low poo dariam o resultado que eu espero(4A) ? Abraços moça :v

Olá, amei o site.
Gostaria de saber que cremes utilizar em cabelo crespo tipo 3b, 3c e 4a, nessa ordem. Grata.
3B = minha filha
3C = eu
4A = minha sobrinha.

Poxa! o mundo precisa de mais posts assim!!! Parabéns. Infelizmente vivemos numa sociedade ainda preconceituosa, (fico indignada com isso!!) não só com relação a beleza, mas em vários aspectos. Eu sou uma crespa assumida tipo 4b misturado com 4C (sem falar do fator encolhimento) e não dou a mínima para o dizem sobre meu cabelo. Vejo e ouço comentários do tipo: “Porque não alisa?” “Faz um permanente afro” ou “faz uma química pra soltar mais o cacho”… Afff… e o pior deles foi um que ouvi outro dia no trabalho: “Vamos combinar, né, cabelo liso é muito mais chic e sofisticado.” Confesso que minha vontade era bater na pessoa que disse isso, mas mantive a classe, dei uma armada no black , virei as costas e saí divando! kkk. Só queria saber onde está escrito que pra ser chic tem que ter cabelo liso. Me poupe, né! Não tenho nada contra, acho lindo. Durante anos fui refém de químicas que deixavam meu cabelo liso e o resultado foi desastroso! Aquilo sim era feio, especialmente quando a raiz começava a revelar sua verdadeira identidade! rsrs. Sem falar nos milhões de reais que gastava todo mês, no desespero quando tinha que sair na chuva e no medo de acabar a energia bem na hora de fazer a sagrada escova no cabelo. Enfim…. cansei de lutar contra a natureza. Cansei de sofrer! Descobri que Deus me deu um cabelo lindo, então porque escondê-lo? Foi a melhor escolha da minha vida! Hoje a palavra LIBERDADE me define. Amo meu black, minha autoestima melhorou 200%, e sempre conto minha história para as pessoas, principalmente quando vem com aquele papinho: “Porque você não alisa?” Agora que sou livre quero ajudar muitas pessoas, que passam ou já passaram pelo que passei, a serem livres também. É preciso entender que Deus nos fez assim, cada um com sua característica, sua personalidade, seus gostos e preferências e cada um com o seu tipo de cabelo, seja liso, enrolado, crespo, ondulado. Afinal o que seria do mundo sem a DIVERSIDADE?
Desculpem pelo longo comentário, mas esse assunto me inspira. rsrs Estou até pensando em criar um blog para incentivar cada vez mais essa aceitação!
Bjs a todas.

Só li essa matéria agora, mas preciso dizer: Amei!
É exatamente tudo o que penso. Abandonei a química única e exclusivamente por não me achar verdadeira e original com um cabelo que “não era meu”!
A melhora na auto-estima e auto aceitação foram consequências desta minha escolha. E digo à todos que foi a melhor decisão. Sinto como se, só agora, eu fosse eu mesma. A Camila original!
Não foi fácil no início… Lembro bem que antes dos processos químicos meus cachinhos eram soltinhos, acho que um 3c, hoje, depois de um pouco mais de 1 ano de transição, carrego comigo (ou ele me carrega) um 4a, que me mata com seu super fator encolhimento kkkk mas também me enche de orgulho pelo simples fato de ser meu! De verdade! Hoje posso me sentir confortável quando as pessoas dizem “seu cabelo é lindo”. Ele é mesmo!
Ainda não é fácil encarar a sociedade mas não muda o fato de que eu sou negra e tenho um cabelo afro e que hoje, eu amo tudo isso.

[…] em tipo de cabelo, deixo também um texto muito bom do blog Cacheia! sobre a hierarquização da textura capilar e porque isso faz […]

Bom!! Estou amando todos os posts e comentário.
E alisava o cabelo quando era pequena mais nunca gostei, então comecei a colocar tranças soltas e uso desde os 12 anos, porém estou com 28 anos e meu coro cabeludo esta doendo muito, não esta aguentando mais as tranças.
Eu já havia cortado o cabelo para ficar mais facil fazer as tranças, hoje ele esta com uns 10 dedos e preciso tira las, e estou insegura com as situações que terei que enfrentar, a parte de ter o cabelo curto e de ter que cuidar pois não sou muito cuidadosa com o cabelo.
Mais agora não tem mais jeito terei que encarar e estou muito agradecida com os posts que estou lendo aqui no blog, meu cabelo é 4B e vou encarar, porque amo ser negra e se Deus fez minha raça com esse tipo de cabelo será ele que o mundo terá que ver e aceitar…

Adorei o Post! Faz alguns meses que fiz a transição, ainda estou aprendendo a lidar com minha jubinha (amo ela do jeito que é), não é definido é um tipo 4… Só me preocupo em saber cuidar dele e deixá-lo saudável!!!
Engraçado é que sou Paraense e as pessoas me olham como se não fosse do Pará, como se fosse coisa de outro mundo e só faço sorrir!!!!


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.