Crônicas Pessoal

Sobre o imediatismo do natural

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

*Imediatismos.m. Filosofia. Caráter do que é imediato.

Vocês com certeza já ouviram falar sobre o imediatismo, senão, o significado acima acho que já adianta um pouco. Gostaria de fazer uma breve análise sobre como ele está presente nas nossas vidas (e no nosso cabelo).

Num geral, podemos afirmar com certeza que todo ser humano é imediatista. Não dá pra negar. Somos ansiosos, nervosos, impacientes. Tudo tem que ser pra ontem. Você sai de casa e fica 5 minutos esperando o ônibus; já está demorando. Você começa a se relacionar com uma pessoa, em 2 meses vocês precisam estar namorando porque senão elx não te ama. Sua chefe te manda um relatório pra você terminar agora porque não quer esperar até amanhã. Você vai ao restaurante com fome, ordena sua comida e já quer ela ali na sua frente. Por que tem que ser tudo tão imediato?

É como entrar de dieta. Você quer perder 10 kg de uma vez só. Não pensa que precisa perder gramas primeiro. Tem que ser tudo de imediato. Meninas, o absurdo é tanto, que você quer perder esse peso todo em semanas e esquece que nem pra adquiri-los foi assim, tão rápido. Por quê?

Ainda não concorda comigo? Então vamos lá. Da onde vocês acham que surgiu o fast-food? O drive-thru? A entrega em domicílio? Por que muita gente ainda não consegue comprar pela internet? Ou melhor, por que muita gente compra pela internet? Porque simplesmente não podemos esperar. Porque tem que ser rápido, fácil, pra agora.

Tudo bem, eu concordo que existem motivos pra isso. A nossa vida anda muito corrida, não temos tempo pra cozinhar, por exemplo. Mas tudo seria melhor se a pressa fosse deixada de lado, certo? A pressa é inimiga da perfeição.

Agora sendo mais focada no assunto: recebo vários e-mails e mensagens de meninas em transição pedindo (quase implorando!) por técnicas para crescer os fios mais rápido, me perguntam sobre remédios veterinários (!!!), sobre o uso de tal remédio manipulado… “To há 3 meses em transição, quase desistindo, não aguento mais!” Gente, peraí. Calma.

Vocês precisam parar pra pensar um pouco. Sei que cada uma tem um motivo pra ter entrado em transição, mas sei que muitas o foco foi a saúde. Daí você para de usar química pra usar um remédio veterinário? Qual o sentido disso?

Normalmente todas nós passamos anos alisando o cabelo, e, de uma hora pra outra, queremos eles longos e naturalmente cacheados/crespos. Queremos um black enorme pra ficar brincando. Sejamos realistas, não vai acontecer.

Não digo que a transição é algo ótimo, maravilhoso, só felicidade porque não é. Entretanto, é um período em que além de mudar a aparência, você pode mudar sua vida. Então ao invés de apressá-la para chegar logo ao seu objetivo, por que não aproveitar a viagem? Aproveite acessórios, aproveite uma tarde inteira com aquela receitinha na cabeça enquanto faz as unhas – e ouvindo música! Faça novos penteados, experimente novos cortes, faça texturizações, nade sem medo da progressiva “sair”! Dê língua pra quem te olha feio, veja vídeos inspiradores no youtube, aprenda a se amar.

Se você sempre teve cabelos longos, por que não mudar um pouco pro curtinho? Lembre-se de que um dia você terá eles longos de novo e vai sentir saudade do joãozinho, pode ter certeza. Experiência própria.

Não sejam tão imediatistas. Transição demora, não é de um dia pro outro. Se sua mãe/pai/namorado/irmã/irmão/tio/tia/primo/papagaio/cachorro não te apoiam, busque apoio em outros lugares. (Aqui no Cacheia :D). Mas não adianta ficar 3 meses de transição e já querer desistir “porque seu cabelo simplesmente não cresce”. Temos leitoras que ficaram mais de dois anos em transição. Tenha paciência. E lembre-se de que seu corpo trabalha num ritmo; se você fica ansiosa e nervosa, esse ritmo se perde completamente.

Assim como tudo na vida, você tem que aproveitar, porque um dia vai passar. Ao invés de aclamarem os longos, seja feliz com o seu curtinho. Passe uma maquiagem, arrase no look. Seja feliz com você mesma.

“Mas poxa, eu queria tanto ter aquele cabelo…” Mas você não tem. E o seu não é pior e nem melhor que aquele. O seu é um cabelo como outro qualquer, mas é especial porque é SEU. A diferença é se você gosta dele. Sim? Então ótimo! Não? Então temos que mudar alguma coisa aí…

Aprendam a ser feliz com o que vocês tem. Isso não vale só pra cabelo, mas pra vida. Espero que tenha valido a reflexão. Rumo ao natural!! Mas devagarinho…

 

*Esse texto é uma opinião pessoal. Colaboração de Giovanna Parreiras.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Você também pode gostar: