A Revolução Cacheada

Não sei se vocês já pararam pra pensar nisso, meninas. Eu comecei a pensar em uma aula de Ética e Comunicação na faculdade (que nem tem tanto a ver com o assunto assim) mas me pôs a refletir. Vocês sabiam que “moda” é a mídia que faz, mas baseada em valores e crenças de uma cultura, certo?

Pois então. Um dia assisti o programa do Chacrinha (velho, hein?) com minha mãe e reparei um pouco na plateia e nas dançarinas (chacretes, eu sei, sou tão velha assim não hahaha).

revolução cacheada

E então minha mãe me disse: “repara no cabelo, Ana. Quando não tinha química, a gente usava nosso cabelo assim mesmo. E ainda assim tinha gente que inventava de passar ferro pra alisar”. Mas acho que ela tava um pouco errada. A “moda” naquela época era o volumão. Daí veio o black power, todo aquele jeito hippie de ser “desleixado” e se preocupar com coisas mais importantes do que o cabelo, tipo a paz mundial.

Com o passar do tempo, a tecnologia, internet e toda essas coisas dos anos 2000, o liso ficou mais prático. Mais prático porque o cacheado/crespo é sinônimo de “desleixo”. Porque no Photoshop, é mais fácil recortar o fundo de uma modelo com o cabelo liso. Porque agora temos opção de deixar o cabelo liso e por que não deixaríamos? É tão mais fácil de cuidar. Errado.

Isso começou a ser adicionado a nossa cultura. O que é um absurdo já que mais de 50% da população brasileira é negra/parda. Como vamos aderir a algo do estilo europeu, que é ser branco, loiro, liso, dos olhos claros?

Mas tudo bem, acabou virando valor nosso isso aí.

Mas o que vejo ultimamente é como isso tem mudado. As mulheres estão deixando de se submeter ao padrão da mídia. A mídia por si só está mudando esse padrão, já que não atinge mais um público tão grande assim. Ser DIFERENTE, hoje em dia, é o que tem se tornado bonito. As mulheres, mesmo que pouca delas, tem deixado pra lá o preconceito dos homens com o cabelo “ruim” (aliás, falar “cabelo ruim” é tão ultrapassado). Os homens estão largando da química.

Não sei se sou só eu que consigo perceber isso. Mas reparem um pouco.

Não é só uma luta de cabelos, é bem mais abrangente. Abrange a luta contra o racismo, contra o machismo e contra a mídia que só nós aliena. Cachear não é moda e nunca será. A moda é ser você mesma. Parar de pôr sua saúde e felicidade em risco por um cabelo liso, por uma imagem que não é sua.

Se você pensa que é só cabelo, meu querido ou minha querida, você está bem enganado.  Só quem já passou pela transição sabe do que se trata essa luta. Sabe o que é sofrer preconceito. Sabe como é triste ver mentes tão pequenas e tão alienadas repetindo tudo o que você já ouviu e viu na TV…

Mas esse é só o primeiro passo da batalha. Nós vamos vencer. E quando vencermos, posso dizer que lutei pelo meu direito de ser eu mesma.

Ana Catarina

Ana Catarina, 24, mineira de em Belo Horizonte, MG. Analista de marketing, costureira no tempo livre e apaixonada por cabelos.







[fbcomments]
Blog Comments

Eu sou uma prova disso,cansei de tentar ser quem não sou.Há uma semana assumi meu cabelo cacheado e estou adorando.Meus amigos e até gente que eu conheço só de vista me aponham e admiram minha atitude:ser eu mesma!

Quando você disse que estava pensando nesse post, sabia que viria algo bom.

Muito bom texto, Ana. Deu até mais orgulho de fazer parte dessa equipe linda.

Vai Cacheia!

Oi.. nossa ameeiii o texto…
A MINHA VIDAA todaaa smpre usei o cabelo liso também , sóq ue chegou um momento em que me olhei no espelho e nao me reconhecia mais…
Estou nessa de transição (D NOVO) historia complicada a minha mas vim aqui deixar a minha opinião : cada vez mais tenho visto garotas , JOVENS, até com black power …isso cresceu de uma forma muiitooo grande e me dá um orgulho e admiração dessas meninas.. não vejo a hora de ser livreeee…de poder sair sem me preocupar se : SERÁ QUE VAI CHOVER ??…
adorei o blog..um bjoo

Muuuito obrigada Marina! E é isso mesmo, quanto mais você se aceita, mais feliz você fica! É uma questão de ser feliz consigo mesmo. Volte sempre <3

Olá Ana!

Nossa amei o texto!

Estou passando pela transição e é uma ludta diária comigo mesma!
Tem dias que eu me acho linda, tiro fotos e etc.
Outros se eu pudesse nem sairia de casa pois me acho estranha com o cabelo curto! Já é complicado ser mulher… Agora imagina ser mulher em transição capilar… rsrs
Mas esta valendo a pena, recebo apoio total do meu esposo que ama meus cachinhos *-*.
Também sinto orgulho pois a minha família tem é 70% mulheres todas negras ou morenas de cabelo cacheados e eu fui a primeira a começar a assumir e hoje mesmo com minhas crises consigo ajudar as que ainda estão indecisas.

Hoje eu posso dizer EU SOU LIVRE!!!

Um beijãaao, CACHEIA!!!!

Que legal, Letícia! Parabéns pela coragem. É um fase complicada, mas aos poucos a gente se encontra. Quando fiz meu bc, fiquei com mania de usar salto, acessórios e maquiagem. Foi fundamental para me sentir mais feminina!

Um beijo!

Como eu não tinha visto esse texto antes? Você sambou Ana, querida! Está LINDO! <3


Leave a Comment