Iluminação de cachos: 3 coisas que você precisa saber urgentemente!

cachos iluminados: foto de mulher jovem com cabelo cacheado e pontas com leve clareamento.

Às vezes a gente enjoa da mesmice e bate aquela vontade de mudar a cor dos cabelos. E não é pra menos: a coloração e as mechas em cabelos crespos, cacheados e ondulados pode ser a chave para destacar essas texturas, criar contornos, impressão visual de volume, profundidade e por aí vai. Além disso, quando a escolha da tonalidade certa de acordo com seu perfil também poderá promover harmonia ou contraste, vivacidade e até mesmo valorizar sua pele e seus traços.

O problema é que essa decisão não é tão simples assim e para garantir um visual novo sem sacrificar a saúde capilar é preciso tomar alguns cuidados. Confira essas dicas:

Mechas sem descolorir?

Na hora de clarear os cabelos, o processo de descoloração é o principal método utilizado pelos salões de beleza. Trata-se basicamente de um processo de oxidação da melanina presente no córtex. Para cabelos crespos e cacheados, que naturalmente podem apresentar menos resistência às agressões químicas, a descoloração demanda a utilização de produtos de qualidade, clareamento gradual e tratamento pré e pós descoloração. O abuso do pó descolorante associado a oxidantes de alta volumagem (ox de 40 por exemplo) por períodos prolongados ou recorrentemente pode provocar a perda de massa capilar. Quando os danos ultrapassam a camada cuticular e chegam ao córtex, a elasticidade e resistência dos fios pode ser comprometida, levando ao grande pesadelo de toda crespa, cacheada ou ondulada que sonha em mudar a cor dos cabelos: a perda de definição.

O que pouca gente sabe é que no caso de cabelos crespos, cacheados e ondulados virgens (sem coloração, sem alisamentos ácidos, etc), é possível realizar mechas sem descoloração. Aqui entram as colorações superclareadoras e muita expertise profissional para análise capilar, execução correta e tratamento adequado. Apesar de também provocar abrasão cuticular, esse processo tende a ser mais suave, sendo uma ótima alternativa para quem deseja uma mudança sutil como a tendência “morena iluminada”.

Como saber se meu cabelo vai chegar na cor que eu quero?

Antes de realizar qualquer mudança de cor, é muito importante buscar um profissional para uma avaliação capilar e teste de mechas. Essa etapa ajuda a identificar qual é a condição dos seus fios: se há sinais de porosidade, como está a resistência e por aí vai. Além disso, somente com um teste de mechas é possível checar qual fundo de clareamento seu cabelo alcançará e em quanto tempo. Esse é o grande “pulo do gato”.

Quer um exemplo? Supondo que você já tenha usado uma coloração preto azulado láaaaaa no ano passado. Parece que já se passou muito tempo e que seu cabelo já desbotou não é verdade? Pior é que não! Uma vez que o cabelo já foi colorido, é possível que na hora de descolorir ele não alcance uma abertura de fundo muito clarinha. Não parece, mas os pigmentos ainda estão lá e podem dar bastante trabalho! De volta ao exemplo, na nossa historinha você usou preto e a mecha de teste ficou bem laranja. Nesse caso, provavelmente o profissional poderá te entregar como resultado num primeiro momento tonalidades do castanho claro (5) ao louro escuro (6). Confira a tabela:

fundo de clareamento da descoloração capilar

A escolha da cor também passam pela nuance que pode variar de .1 (violeta) a .7 (marrom). Esse é um bom momento de colocar o visagismo em ação e solicitar reflexos que valorizem o melhor da sua beleza. São tons quentes o dourado (.3), cobre (.4) acajú (.5) e vermelho (.6). Entre as nuances mais frias estão o violeta e o irisado (.2). O marrom (.7) tende a ser uma cor coringa, um reflexo mais “neutro”.

A característica e distribuição de mechas interfere no resultado

Antes de realizar a iluminação de cachos, tenha em mente que tipo de resultado espera e transmita para o/a seu/sua cabeleireiro/a. Dependendo do desejo da cliente o/a profissional determinará se as mechas vão ser mais fininhas, médias ou bem marcadas, se a divisão entre as mechas terá transparência, se trabalhará mechas eriçadas ou esfumadas, se o clareamento sairá desde a raiz ou se terá o efeito ombré, se as mechas vão demandar papel alumínio, se será um trabalho à mão livre, etc. Acredite: existem muuuitas possibilidades para valorizar o melhor do seu natural, mas para não tomar aquele susto ao se ver totalmente loira quando a ideia era um efeito leve é preciso conversar direitinho.

Ficou com alguma dúvida? Deixe pra gente nos comentários!

Foto de capa by Daniel Monteiro on Unsplash

Maressa De Sousa

Maressa, 26 anos, baiana. Cientista Social, mestra em Antropologia. Terapeuta capilar, cabeleireira e trancista. Ama filmes e livros de ficção. Para ela, a transição capilar marcou o início de muitas outras transformações.







[fbcomments]

Leave a Comment