Blog

Produtos capilares, mercado e consumo

Algumas pessoas acreditam que cuidar o cabelo cacheado/crespo é caro. Imagina-se que cuidar do cabelo natural exige uma série de produtos e técnicas que demandam tempo e dinheiro. Pra dizer a verdade, já ouvi muitas vezes coisas como: “Eu até queria deixar o cabelo assim igual o seu mas dá muito trabalho, é mais fácil fazer escova“. Muita gente pergunta também se é mais caro cuidar do cabelo natural ou fazer progressiva/escova/prancha e se os produtos que uso são difíceis de achar. Para falar sobre os custos e o mercado de produtos capilares para cabelos cacheados e crespos pedi ajuda para os leitores e leitoras do Cacheia. Recebemos 221 respostas ao todo. Essa “amostra” é composta por pessoas que se disponibilizaram a responder voluntariamente nosso questionário.

Começamos então batendo um papo sobre o mercado de produtos capilares. O número de mulheres que decidiram voltar ao cabelo natural têm crescido bastante. Essa mudança é acompanhada de perto por algumas empresas. Mal piscamos os olhos e uma nova linha de produtos para cabelos cacheados e crespos sai do forno. No meio de tanta novidade, surgem empresas especializadas em produtos para o nosso tipo de cabelo enquanto outras marcas já reconhecidas e estabelecidas no mercado lançam produtos para acompanhar o crescimento de uma demanda.

Sabendo de tudo isso, a dúvida que resta é até que ponto esses produtos atendem as necessidades desse novo público. Com a palavra, os leitores e leitoras do Cacheia!

Existem bons produtos para cabelos cacheados disponíveis no mercado?

YJHSBbH40,7% das leitoras acreditam que atualmente existem bons produtos disponíveis no mercado a preços acessíveis. Mas acreditam também que os melhores produtos possuem um valor pouco acessível.

31,2% acreditam que existem ótimos produtos disponíveis no mercado por um preço acessível.

14,9% acreditam que existem ótimos produtos no mercado mas acreditam que o valor da maioria deles não é acessível.

12,2% acreditam que a maioria dos produtos do mercado não é capaz de suprir as necessidades do cabelo cacheado, especialmente para meninas que seguem as “técnica Low/NoPoo”.

O que mais influencia a decisão das pessoas na hora de comprar um produto capilar?  

ihbCEG8Quem é que não adora uma promoção heim? Nada melhor que encontrar seu creme favorito por um preço simpático. Apesar de ser ótimo, esse não parece ser o motivo que mais influencia a compra de boa parte das pessoas que responderam. Apenas 11,3% delas é mais influenciada pelo preço na hora de adquirir um produto capilar.

20,4% das pessoas compram pensando na fórmula e a maioria esmagadora de 68,3% compra a partir de boas recomendações do produto feitas por amigas, blogueiras, vendedoras, famosos, etc.

Fazendo as contas: quanto as pessoas gastam em média ou estão dispostas a gastar com o cabelo cacheado/crespo? 

A maioria das pessoas (78,3%) gasta entre R$4,00 e R$ 20,00 com um creme de pentear. Quando o assunto é shampoo, 51,6% das pessoas gastam entre R$11,00 e R$ 20,00. Aqueles que gastam mais de R$31,00 com um shampoo ou um condicionador são 7,7%. Já com creme de pentear, são 8,1%.

Entre os produtos mais caros já comprados aparecem a máscara de hidratação capilar e o leave-in/finalizador.

83,2% das pessoas estão dispostas a pagar entre R$ 15,00 e R$ 30,00 por um leave-in ou finalizador enquanto 16,7% pagaria R$ 40,00 ou mais. 33,5% pagariam no máximo R$ 20,00 num shampoo e outros 12,7% estão dispostos a pagar R$ 40,00 ou mais. 80,6% das pessoas estão dispostas a pagar entre R$ 15,00 e R$ 30,00 num creme de pentear e 19,5% pagariam R$ 40,00 ou mais.

Nós perguntamos também se alguém já tinha deixado de comprar algum produto capilar em função do preço. 91% disseram “sim” e outros 9% disseram “não”.

Consumismo: quando os cuidados viram exagero 

Quando decidi usar o cabelo natural, demorei algum tempo para encontrar os produtos ideais para o meu tipo de cabelo. Assim, acabei testando de tudo: muitas marcas diferentes e muitas receitinhas caseiras. Depois de passar pela transição ficou claro que meu cabelo só precisava mesmo de alguns cuidados para manutenção.

O cabelo natural não é um bicho de sete cabeças. Quando agredimos o cabelo com o uso frequente de produtos químicos fortes existe a necessidade de reforçar os cuidados. É verdade também que alguns cuidados básicos nos acompanham depois da transição mas não é preciso nenhum desespero. Quase sempre menos é mais. A falta de vitaminas enfraquece os cabelos, mas seu excesso causa danos também. Em busca de crescimento milagroso ou de cachos perfeitos a gente acaba exagerando.

As pessoas compram mais produtos do que realmente precisam? 

hceAFuX41,2% das pessoas disseram que sempre compram apenas os produtos que precisam. Em contrapartida, 40,3% já compraram produtos que usam raramente e já abandonaram alguns produtos adquiridos. 18,6% das entrevistadas já compraram produtos em excesso mas hoje mudaram seus hábitos.

Esses números me surpreenderam bastante e despertam certa preocupação. As marcas brasileiras já enxergaram no público cacheado/crespo um mercado importante. Muitas têm investido inclusive na adaptação de receitas caseiras antigas como a reconstrução com vinagre, umectação, hidratação/nutrição com maionese, etc. As propagandas são muito bem feitas e despertam aquela curiosidade de testar, não é verdade? Mas talvez seja importante lembrar que os produtos possuem prazo de validade. Em geral são extensos, é verdade. Mas mesmo assim, se você comprar um grande número de máscaras de reconstrução por exemplo, pode acabar não usando todas. Se você comprou produtos que não gostou muito e sabe que ele provavelmente vai ficar mofando no fundo do seu armário, tente fazer um exercício de desapego :)

Concluindo …

No fim das contas, cada cabelo tem suas próprias necessidades e cada um sabe onde lhe aperta o sapato. Quem pode pagar um pouco mais por um produto capilar, encontra ótimas opções. Quem não pode ou não quer gastar muito, também consegue boas alternativas. Garimpando daqui e dali e compartilhando experiências a gente aprende a cuidar do cabelo da melhor maneira possível.

Leia também:

4 coisas para fazer antes de dispensar um produto que não deu certo 

Reciclando, reutilizando e reduzindo produtos capilares

You may also like