Dicas

Qual a diferença entre caspa, dermatite seborreica e psoríase?

Oi, meninas! Tudo bem?

O post de hoje é de utilidade pública e para todos os tipos de cabelo. Vamos falar sobre caspa, dermatite seborreica e psoríase e como diferenciá-las. É muito comum ouvir uma crespa reclamando sobre caspa porque frenquentemente exageramos a mão em cremes ou usamos água muito quente. O que pouca gente sabe é que a caspa pode ser confundida com dois problemas de saúde maiores: a dermatite seborreica e a psoríase (doença de pele que pode atingir o couro cabeludo).

Nesse sentido, o post de hoje vem como um alerta a todos nós. Até que ponto é normal ter caspa? Até que ponto descamação do couro cabeludo é realmente caspa e não uma doença mais grave? Às vezes ficamos tão atentas ao problema (caspa) e em como resolvê-lo que não percebemos que estamos lidando com algo muito maior e que só um médico dermatologista poderá te ajudar. Nosso objetivo aqui é tão somente alertar para os sintomas para que você possa ficar ligada e procurar um médico, ok?

qual-a-diferenca-entre-caspa-dermatite-seborreica-e-psoriase

 

Caspa

A caspa é a descamação do couro cabeludo e acontece devido a fatores hormonais, mudanças bruscas de clima e stress, mas também pode ser provocada por produtos e químicas capilares e água quente, como a Ana e a Lari já explicaram no post “5 maneiras de evitar a caspa”. Dizer que caspa é falta de higiene, então, é propagar um mito! Aliás, a caspa pode surgir em qualquer tipo de cabelo, seja nos secos ou nos oleosos.

A caspa acontece porque o couro cabeludo é formado de pele, e ele descama pela perda de células mortas e chegada de células vivas. Essa descamação fininha é normal, mas se você estiver perdendo pedaços de pele, aí estamos falando da dermatite seborreica, como explicaremos a seguir.

Como não há cura, já que é um processo normal, a caspa pode ser controlada. Primeiro, utilizando um shampoo anticaspa, que é um produto que realmente funciona por ter na composição princípios ativos que diminuem a divisão celular, lavando o cabelo com água morna (e jamais quente, que só irá agravar a situação) e também deixando a raiz do cabelo respirar sem produtos. Se mesmo com esses cuidados a caspa não diminuir, procure um médico!

Dermatite Seborreica ou Seborreia

A dermatite seborreica, ou seborreia, como já falado, pode ser considerada uma caspa mais grave. Mas ao contrário de ser um processo natural, esse problema surge a partir de uma inflamação e é uma doença crônica, podendo aparecer e sumir ao longo da sua vida. Ela se manisfesta no couro cabeludo e em outras partes do corpo onde há maior produção de óleo sob a forma de lesões avermelhadas que coçam.

O que causa o problema não se sabe ao certo, mas agravam o quadro alterações hormonais, stress, clima seco, frio e mudanças bruscas de temperatura. Pode ter relação também com o tipo de pele, o fungo Pityrosporum (que vive em nossa pele) e alguns medicamentos. Não há cura definitiva, mas existem tratamentos que podem reduzir o quadro da seborreia, como medicamentos específicos e shampoos que, novamente, só podem ser indicados por médicos.

Segundo o site Minha Vida, os sintomas da dermatite seborreica são:

  • Flocos de pele (caspa) em seu couro cabeludo, cabelo, sobrancelhas, barba ou bigode
  • Crostas de pele que descamam
  • Pele avermelhada
  • Vermelhidão ou descamação das pálpebras (blefarite)
  • Coceira ou ardor, que pode piorar caso a área seja infectada pelo ato de “cutucar” a pele
  • Oleosidade na pele e no couro cabeludo.

Se você acha que é este seu caso, procure um médico!

Psoríase no couro cabeludo

Apesar de ser uma doença reconhecida como prioritária pela OMS, a psoríase ainda é desconhecida no Brasil. Então, aqui cabe uma introdução:

Segundo o Google, psoríase é:

“doença cutânea com um componente hereditário, caracterizada pela erupção de placas eritematosas cobertas de escamas esbranquiçadas ou nacaradas, mais frequência nos membros e no couro cabeludo.”

 

Ou seja, a psoríase pode ocorrer na pele e também no couro cabeludo. Na verdade, a segunda situação acontece com 50% a 80% dos casos de pessoas que já possuam psoríase, e é considerado o tipo “psoríase em placas”, sua forma mais simples que inclui placas avermelhadas cobertas por escamas brancas com tom prateado.

Na região do couro cabeludo a psoríase pode se caracterizar por uma descamação muito leve e fina, mas também pode apresentar placas espessas e avermelhadas que cobrem todo o couro cabeludo e vão até a testa, a nuca e o redor das orelhas.

psoriase-no-couro-cabeludo
Psoríase no couro cabeludo

 

Algumas causas da psoríase, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, são:

  • Histórico familiar – Entre 30 e 40% dos pacientes de psoríase tem histórico familiar da doença.
  • Stress – Pessoas com altos níveis de estresse possuem sistema imunológico debilitado.
  • Tempo frio, pois a pele fica mais ressecada
  • Consumo de bebidas alcóolicas.
  • Tabagismo: o cigarro não só aumenta as chances de desenvolver a doença, como também a gravidade da mesma quando se manifesta.

A doença não tem cura, mas existem uma série de tratamentos com remédios, pomadas, shampoos e até tratamentos mais alternativos.

Mas cuidar de um cabelo com psoríase? Encontramos algumas dicas bem bacanas no Blog Bem Estar que são:

  • Evitar banhos quentes e longos
  • Evitar secadores de cabelo
  • Tomar banhos de Sol
  • Usar shampoos e hidratantes com recomendação médica
  • Enrolar o cabelo com toalhas – pode ser tecido de algodão para não danificar os cachos ;) – úmidas ou bolsas de gelo para amenizar a coceira (e não coce!)

É sempre bom lembrar que nenhuma das doenças citadas são contagiosas e não são causadas por falta de higiene! Conscientize-se e passe conhecimento para frente, assim o preconceito morre!


Agradecimento e Créditos

Post feito em parceria com a minha amiga e redatora Gabriela Filippo 


Referências:

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Programa Quality Care

Tua Saúde

Drauzio Varella

Minha Vida

Blog Bem Estar

You may also like