Crônicas

O cabelo cacheado é o Patinho Feio da nossa sociedade

Estava eu lendo “O Patinho Feio” para o meu filho. Já conhecia a história, mas não me lembrava dos detalhes nem da moral que ela ensina. Para quem também não se lembra, o Patinho Feio foi o último ovo a ser chocado pela mamãe pata e dele saiu um filhote com penas cinza-escuro, bico preto e o dobro de tamanho dos demais.

O Patinho foi muito caçoado pelos irmãos e pela vizinhança. “Ele não pode ser um de nós! Ele é muito feio!”, disse um dos patinhos. “E também é muito estranho!”, disse outro.

 

A mamãe pata argumentava que ele nadava muito bem, como um pato de verdade, mas não foi capaz de manter seu filho por perto quando os outros patos expulsaram-no do grupo. O Patinho foi embora e chegou até a “esconder sua feiura dos demais”.

Depois de muito percorrer, se esconder e sofrer, o Patinho encontrou um bando de pássaros brancos com pescoço comprido, que já havia encontrado tempos antes. Ficou encantado com a beleza desses pássaros e, com o coração acelerado, juntou-se a eles pedindo para lá permanecer.

“Oi, eu posso ficar com vocês?, falou, cheio de tristeza por não ter outro lugar para onde ir.

“Mas é claro que você pode ficar aqui. Você é um de nós!”

E foi assim que o Patinho percebeu que era, na verdade, um cisne e passou a ter orgulho de seu própria beleza.

E aí, eu te pergunto, quem de nós, crespas, cacheadas e em transição, nunca se sentiu um Patinho Feio? Quem nunca foi caçoada por ser diferente? Quem nunca ficou triste com comentários maldosos e não acabou acreditando neles ?

 

Quem aí nunca alisou o cabelo para ser um pato ao invés de um cisne? Quem nunca prendeu a juba para se esconder? Quem nunca acreditou que era feia?

É, Patinhas, a vida não é fácil, mas nunca se esqueçam quem vocês são de verdade e que a nossa beleza é única e especial! Não acreditem no que outros falam. Olhem para o cisne que existe dentro de vocês, cuidem dele e o amem. Quando a gente se aceita, fica muito mais fácil enxergar esse cisne e dar asas para ele voar lindo, belo e armado! ;)

 

Obs:  A história foi resumida de acordo com a versão de “O Patinho Feio” recontada por Natacha Godeau, para a Coleção Contos e Fábulas da Folha de São Paulo.

You may also like