Reflexões sobre Hermione Granger, cabelo natural e representatividade

  • Home
  • Cinema
  • Reflexões sobre Hermione Granger, cabelo natural e representatividade

Quem nunca ouviu falar na série Harry Potter, famosa pela magia, quadribol e até pelo vilão sem narinas Voldemort? A série de livros escrita por J.K. Rowling, que foi adaptada ao cinema, ficou famosa no mundo inteiro. A saga pode proporcionar solo fértil para reflexões interessantes sobre liberdade, gênero e… cabelos! É por isso que vamos dedicar esse post à discussão sobre a personagem de Hermione Granger, cabelo natural e representatividade.

Spoiler alert: o texto possui revelações sobre o enredo.

Quem é Hermione e por que isso importa?

Desenho Hermione Granger negra: Hermione Granger, cabelo natural e representatividadeHermione Granger, bruxa protagonista da série, é interpretada por Emma Watson no cinema. Na literatura, possui cabelos incontroláveis, indomáveis e livres, caracterizados como fios castanhos, cacheados e sempre volumosos, apelidados carinhosamente pela autora J.K. Rowling de “juba”. De fato, Hermione é um leão.  Ela dificilmente se encaixaria no papel de “donzela em perigo”, pois além de salvar a vida dos amigos diversas vezes (bota diversas nisso!), Hermione participou ativamente na busca e destruição das horcruxes que mantinham o vilão da série vivo. A personagem é um misto de tagarelice, orgulho, coragem e muita inteligência. Hermione consegue juntar características que são consideradas paradoxais: a racionalidade e o afeto.

Na história, Hermione é a prova da efemeridade de cabelos domados: Quando estava no quarto ano, houve um importante baile na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Para a ocasião, ela eliminou os cachos, o frizz e o volume através de um penteado, com a ajuda de cremes e produtos. No outro dia, porém, a autora enfatiza que os cabelos da menina já haviam voltado ao normal: gigantes, volumosos e poéticos.

Assim como ela,  somos incapazes de domar nossos cabelos. Muitos podem argumentar que, na atualidade, existem muitas técnicas à nossa disposição que permitem a modelagem dos fios na forma que queremos, tais como produtos alisantes, xampus e finalizadores. De fato, isso é verdade, o que não torna inválida a minha afirmação anterior. Todos esses processos são apenas temporários. Mesmo que façamos alisamentos, após 6 meses, ou até um ano, o cabelo aparece como realmente é. Escovas e chapinhas duram até a próxima chuva. Cremes seguram os fios por um tempo,  mas vão embora com a lavagem ou com o clima. Por mais que o cabelo acorde do jeito que queremos hoje, amanhã o bichinho já pode se revoltar.  A realidade é simples: cabelos não podem ser fisicamente domados por nós.

Quando a representatividade é colocada em questão

No início dos filmes, os cabelos de Emma eram pouco modelados: apesar de não formarem cachos como descreve J. K. Rowling, os fios eram castanhos e bem volumosos. No segundo filme, já podemos perceber uma baita diferença, com volume e frizz reduzidos, e ondas mais definidas e demarcadas. Porém, é a partir do filme de número 3, Harry Potter e o Prisoneiro de Azkaban, que o cabelo de Mione se torna mais liso e adquire tons mais loiros, contrastando de modo definitivo com a descrição oferecida nos livros. Os fios só aparecerão frizzados de novo, brevemente, no sexto filme, quando a garota explode acidentalmente uma poção em seu caldeirão, na aula de Poções do prof. Slughorn. Ironicamente, até em batalhas, fugas e momentos tensos, o cabelo continua intocavelmente ondulado, loiro, sem volume ou qualquer traço de frizz. (Será que existe algum feitiço para isso? Frizzus acabaivus?) O buzzfeed americano já fez um post com ilustrações sobre como seria a aparência de Hermione se os filmes fossem fieis aos livros. 

Evolução de Hermione Granger em todos os filmes - Hermione Granger, cabelo natural e representatividade

Evolução do cabelo de Mione com o passar da saga

Toda essa modelagem dos cabelos de Hermione nos faz perguntar se o mundo da literatura é mais livre em suas descrições de personagens do que a indústria do cinema, preocupada demais com os padrões vigentes de beleza. Vejam bem, o meu descontentamento com a mudança dos fios da personagem não é arbitrário, e muito menos picuinha típica de puristas de obras originais de literatura. Adaptações são bem vindas e necessárias. O meu questionamento é: por que muitos fãs acham absurdo que os olhos de Harry sejam azuis, ao invés de verdes, mas pouco se importam com as mudanças de cabelo de Mione? Por que a imagem de Hermione foi modificada e descaracterizada justamente na direção de um cabelo mais liso e mais claro? Se já não é muito raro encontrar personagens com fios naturais, especialmente em literatura inglesa, então por que modificar o que já não tem representatividade? Qual a razão de fios ondulados terem sido escolhidos em detrimento de fios rebeldes e volumosos?

Também me pergunto: em que medida essas mudanças são determinadas pela audiência, ou seja, por nós que consumimos e assistimos esses filmes? Qual o nosso papel nessa mudança que foi responsável por trocar cabelos rebeldes e cheios de personalidade por fios ondulados, baixos, e loiros? Em que medida esse fenômeno é alimentado por produtores e/ou por Emma Watson? Por um lado, Emma já afirmou em entrevistas que achava o cabelo do primeiro filme feio. Por outro lado, por mais tentador que seja acusar produtores e indústria de pecar na representatividade, vemos comentários de fãs espalhados por aí que não se importam com as mudanças.

noma-hermione-and-the-cursed-child-harry-potterAinda, no ano passado, a escolha de Noma Dumezweni, atriz negra, para a interpretação de Hermione em peça de teatro “Harry Potter and the Cursed Child” gerou polêmica e muitas críticas ao processo de escolha do elenco. As reclamações apostavam na descaracterização da personagem como o foco de crítica. No twitter, em resposta às críticas, a autora da saga afirma (em tradução livre): “[…] Olhos castanhos, cabelo frizzado e muito inteligente. A pele branca nunca foi especificada. Rowling ama a Hermione negra.” É engraçado também que o ator escolhido para interpretação de Ron, companheiro de Hermione e Harry, também não atende às características descritas nos livros ou filmes anteriores, sem causar demasiados alvoroços. O que importa é que ele continua branco, não é? É relevante notar que além da pele de Hermione não ter sido jamais citada nos livros (exceto em passagem do terceiro livro que é classificada como “brown”, palavra inglesa que pode demonstrar tanto bronzeada quanto negra), as reclamações nos levam à reflexões ainda mais complexas e tortuosas:

Quando atores brancos interpretam personagens não-brancos

A assimetria entre atores brancos e não brancos no cinema, teatro e televisão é evidente. Não só as ofertas de papeis são mais escassas, como frequentemente é oferecido a não brancos papeis reduzidos em termos de complexidade psicológica e emocional, muitas vezes reiterando esteriótipos tipicamente associados a pessoas não brancas. Ainda, há de se considerar que quando atrizes e atores brancos atuam em papeis de pessoas negras, não há alvoroço ou maiores críticas. A lista é gigantesca:

  • Cléopatra foi interpretada por Elizabeth Taylor;
  • Katniss Everdeen por Jennifer Lawrence;
  • Praticamente todos os atores e atrizes da novela “Dez Mandamentos”, da Record;
  • Mariane Pearl, por Angelina Jolie;
  • Moisés, por Christian Bale;

A lista é gigante e parece aumentar a cada ano.

É sério que colocaram esse cara para atuar como uma pessoa do EGITO?

É sério que colocaram esse cara para atuar como uma pessoa nativa do EGITO?

 

No final, a pergunta aperta no peito: por que atrizes e atores continuam sendo branqueados no cinema? O nosso nível de representatividade é tão baixo que até os cabelos de uma atriz branca precisam ser alisados? A Hermione dos livros, por mais clichê que isto soe, não deixa de ter cabelos rebeldes e volumosos justamente porque eles andam de mãos dadas com a personalidade dela. Sobre essa, e muitas outras escolhas arbitrárias de elenco e caracterização de personagens, fica a minha crítica e o meu pesar. Ainda temos muito a aprender. 

Raysa França

Raysa, 21 anos, vegana, belo-horizontina e mineira de coração. Estudante de ciências sociais, apaixonada com pessoas, animais, viagens, desenhos animados, culinária e cabelos.







comments

Comentários

Aì, Raysa, esse post já pode ganhar o prêmio amor do ano! <3

Estou completamente apaixonada por esse post! <3

Amei o texto.

UAU !!!
Que massa essa reflexão as respeito do cabelo da Mione…Eu nunca tinha pensado !
É acho que todas nós, um dia passamos pela fase de tentar dominar o cabelo e um dia percebemos que é uma luta perdida hahahhaha

Muito bom o texto…
Beijos !
http://www.odocediariodasanas.wordpress.com

Que lindinhas! Fico feliz que gostaram. Muito obrigada pelos elogios. ♥♥ Beijos,

Adorei! É exatamente isso! Já temos tantas preocupações na vida, tantas dúvidas, dificuldades,etc, porque acrescentar mais uma a essa lista? Se eu tenho o direito de ser livre, porque não o meu cabelo?
Adorei o post, parabéns!

[…] do da Rayza Nicácio. O importante nisso tudo é reafirmar a naturalidade e a aceitação. Porque cabelos não podem ser fisicamente domados por nós, e eles sempre serão retrato da nossa própria individualidade. Se encontrar no próprio cabelo, […]

[…] volume, frizz e fica alto mesmo.  Altão. Então aceita que dói menos. Não dá pra controlar algo que é incontrolável. A questão de um milhão de reais é: por que essas características todas são consideradas […]

Perfeito!!
Somos todas Hermione e tenho certeza disso!
Meninas parabéns pelo post e pelo blog, sou leitora assídua.

Beijão.

Olá Gleyce! Aaaai que lindona!!!
Obrigada, bjocas

Adorei o post! <3

Nhoim, obrigada! <3

Responder

Samantha Marques de Souza

Amei o post! Concordo muito contigo, acho que tá faltando representatividade no cinema. Isso de escolherem uma mulher negra para interpretar a Hermione foi tão legal, e um monte de gente reclamou só por ela ser negra, sendo que a própria J. K. falou que ela não era descrita como branca. Seria muito legal diversificar mais os atores e as atrizes de TV e cinema.

Gata, pois é!
Eu sinto que as coisas já estão um pouco melhores, mas ainda falta muuuuuuuito!
Não é atoa que atrizes e atores negros reclamem, porque muitas vezes nem propostas de papel eles recebem!

Um beijo

Adoro o blog justamente por causa de post desse tipo,faz a gente pensar sobre como a mídia tem influência sobre a gente e às vezes nos damos conta disso
Meninas adoro vocês

Que legal, Aldenize! Muito obrigada <3


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.