9 séries de televisão que abordam a questão racial

Bom, acredito que já é de conhecimento geral de quem convive comigo que eu sou apaixonada com séries de televisão. Se dependesse de mim, passava minhas parcas horas de descanso na frente da TV. (Ai que horror!). Mas para além do entretenimento, podem ser ferramentas valiosas de reflexão. Por isso, reunimos essa lista maravitop de séries de televisão que abordam a questão racial de maneiras muito diferentes. 

Algumas são mais levinhas, outras mais pesadas. Algumas enchem o coração de boas recordações (pode entrar, Um Maluco no Pedaço!) e outras podem pesar um pouco o role, mas nem tanto! E se vocês querem ver as séries de televisão que abordam a questão racial, mas não tem netflix ou esses serviços caros caríssimos de tv paga, a baía dos piratas tá aí, democrática pra todas e todos nós!! yayyyyyy

E então? Bora ver a lista das 8 séries de televisão que abordam a questão racial?


Cara Gente Branca

Cara Gente Branca (Dear White People) era filme independente que acabou virando série original do Netflix. A história envolve as polêmicas e conflitos que surgem após uma festa blackface em uma universidade fictícia estadunidense. Para quem não sabe, o black face é uma prática horrorosa em que pessoas brancas se “pintam” e “fantasiam” de negras. A série tem sacadas de humor interessantíssimos, aborda múltiplas perspectivas: a da homossexualidade, da ascensão social de pessoas negras, da hiperssexualização de homens negros, do relacionamento interracial, entre muchas coisinhas mais.

Razões para assistir?

"Beleza é dor"

“Beleza é sofrimento” (tradução livre)

  1. É uma série ótima para os padrões do Netflix (ops);
  2. MUITO dinâmica: cada episódio foca na história de uma personagem, então as temáticas e acontecimentos estão sempre mudando.
  3. Série muito precisa na abordagem da diversidade de pensamentos, jeitos, características e personalidades das pessoas negras. Xô, esteriótipos!
  4. Humor afiado, cheio de sarcasmo, do jeito que a gente goxta.

Insecure

Insecure: séries de televisão que abordam a questão racial

Insecure é minha comédia queridinha atual! É focalizada nas vivências de duas amigas: Issa e Molly. A série narra as inseguranças, anseios e alegrias cotidianas relacionadas ao amor e ao trabalho de ambas. Questões raciais e de gênero são abordadas com leveza, mas nem por isso menos explícitas, como é o caso de um dos episódios: Molly é a única advogada negra de um escritório chique até a chegada de outra colega negra. Ela, ao contrário de Molly, usa cabelo natural e faz questão de expressar a sua negritude. Diante disso, Molly aconselha a nova moça a falar menos como uma pessoa negra, de maneira a garantir a aceitação dos brancos e evitar problemas no escritório. Pesado. O que acontece depois, deixo para que vocês descubram.

Razões para assistir?

  1. A Issa é muito expressiva, sério!
  2. Inclusive, a atriz que interpreta a Issa, também se chama Issa. É a criadora da série. A história é muito atrelada à sua própria subjetividade.
  3. A fotografia da série é belíssima.
  4. A série é da HBO (vulgo melhor emissora/produtora de séries atualmente, hello?)
  5. Recentemente, a atriz Yvonne Orji, que interpreta a Molly, falou publicamente que é uma mulher virgem de 33 anos. Achei foda.
  6. É lotado de referências à cultura pop. Se você é viciadão nisso, vai amar!

Black-ish

A comédia foi definida por Barack Obama como uma de suas séries preferidas. O programa explora uma temática muito comum nas séries americanas: um conflito que sentem as famílias que ascendem socialmente, marcado pelo medo de perder a cultura negra. Esse medo aparece nessa série, também em Um Maluco no Pedaço (que vou falar mais em frente). Assisti apenas o piloto e gostei bastante. Não é aquela série ultra complexa, mas é ótimo pra ver no domingão, comendo pipoca. 

Razões para assistir?

  1. Trump criticou a série – já é motivo suficiente pra ver!
  2. Série bem família, de todas é a talvez a mais levinha. Bom para aqueles momentos que a gente só quer desligar o cérebro um pouquinho.

The Get Down

The Get Down - Série netflix

Mais uma das séries vintage do Netflix, The Get Down aborda a ascensão da cultura hip hop no final dos anos 70. Série que foi infelizmente cancelada, mas ~dizem~ que rendeu ótimas duas temporadas. Comecei a assistir e gostei bastante, ainda estou na primeira. Quem sabe rola um edit sobre o que eu achei de tudo?

Razões para assistir?

  1. A série tem visuais incríveis. Os cabelos são maravilhosos, poderosíssimos.
  2. O elenco é jovem e sensual. Não é uma série pesadíssima (até porque nem tudo da cultura negra tem que ser, né non? POR FAVOR, BORA PRODUZIR ENTRETENIMENTO POR ENTRETENIMENTO, GÉNTEM).
  3. É chover no molhado, mas a trilha sonora é lindimais.

Master of None

Mais uma das séries de televisão que abordam a questão racial, Master of None é da empresa de streaming Netflix. Eu sei que eu tô falando demais do Netflix, mas fazer o que? Quem me recomendou a série foi a Ana, aqui do blog, e apesar de começar com as expectativas lá embaixo, eu amei! A questão racial é abordada de maneira completamente diferente das outras séries, e nesse caso, é pensada junto com uma temática pouco discutida no brasil: a da imigração. Dois dos personagens principais são filhos de imigrantes, e isso rende situações engraçadas e inusitadas. Os recortes étnicos também são maiores do que estamos acostumados em terras tupiniquins.

Razões para assistir?

  1. É engraçado. Tipo. Real. Humor irônico, sabem? Não é aquele humor de série tosca americana não. (Cof cof eu ouvi Friends?)
  2. (Na real eu amo Friends)
  3. A série aborda questões raciais muito complexas e muito sérias de forma levinha e descontraída.

Um Maluco no Pedaço

séries de televisão que abordam a questão racial

QUEM AMA O WILL SMITH LEVANTA A MÃO! Euuuuuuuuuu!

De toda a lista de séries de televisão que abordam a questão racial, essa é talvez a que eu tenho mais carinho. Pra quem cresceu nos anos 90 ou início dos 2000, ouvindo o famoso rap de abertura, provavelmente vai reconhecê-la. A série não se coloca de forma abertamente ativista, mas não deixa de abordar a questão racial por isso. Logo no primeiro episódio, Will se muda para casa dos tios ricos e é confrontado sobre o seu estilo de falar e de se comportar. A série aborda os conflitos encontrados por negros que ascendem socialmente. De forma cômica, claro.

Razões para assistir?

  1. É O WILL SMITH, CARAMBA!
  2. É MALUCO NO PEDAÇO!
  3. TEM O CARL QUE É UM PERSONAGEM ENGRAÇADO!
  4. A DUBLAGEM É ÓTIMA!

Orange is the new black

Olha só, gente. Eu não curto muito Netflix não. Na verdade, acho que as séries são mal produzidas. Opa, olha só o ataque de sinceridade.  Mas de todas as emissoras, é talvez hoje a que mais investe no aspecto da diversidade. Eu sei que a propaganda para a série não parece muito boa vindo de mim, mas vale a pena dar uma chance! A primeira temporada é bem legal. A série aborda algumas coisas de forma bem interessante, especialmente sexualidade, gênero e raça. Mas se eu falei basicamente coisas ruins da série, por que assistir?

Razões para assistir?

  1. A série aborda de forma complexa toda sorte de pessoas. É realmente bastante diversa.
  2. Apesar disso, não é uma série apenas para mulheres, bissexuais, lésbicas, negras ou pessoas trans*, mas para homens também! A discussão não fica fechada em uma bolha.
  3. O elenco é foda.
  4. Se você não está muito a par de discussões sobre sexualidade feminina, essa série é pra você. Abriu muito a minha cabeça sobre identidades lésbicas e bissexuais.

 


How to get away with murder

Séries que abordam raça, gênero e sexualidade de maneira diversa

How to Get Away with Murder é uma série que focaliza os dramas da advogada criminal Annelise Keating, seus assistentes e grupo de estudantes de Direito. É uma série com roteiro e trilha sonora medianos. Vou ser sincera com vocês: na maioria das vezes acho muito dramático e exagerada. Mas se você curte um novelão, e se você curte enaltecer e divulgar Viola Davis, eu recomendo. Assisti duas temporadas e não me arrependo, mas não animei de assistir a terceira. Viola Davis é minha rainha e nada me faltará. Amém?

E se vocês querem mais um motivo para assistir, podem fazer pelo Wes: quem ama/é Harry Potter, vai lembrar dele como o Dino Thomas. O moço é gatinho, e apesar de todo mundo (tipo, todo mundo!) odiar o personagem dele, eu acho um fofão.

Razões para assistir?

  1. Tem a rainha Viola Davis.
  2. Tem uns suspenses legaizinhos.
  3. Tem o Wes e ele é um fofão. (O ator é filho de brasileira, gente! Ele tá fofíssimo nessa entrevista)

Séries de televisão que abordam a questão racial: conhece alguma? Recomenda pra nós! :-)

O que acontece é que essas séries abordam raça de maneira muito legal, mas infelizmente muito gringas. Sabemos que, apesar de termos questões comuns, os debates e angústias aqui são outros, né? Então se vocês tem indicações de séries, especialmente brasileiras ou latino-americanas, manda pra gente! Vale notar também que a maior parte das séries, apesar de eu ter ranço do Netflix, são justamente dessa emissora. Tá faltando investimento nas temáticas de outras empresas, hein galeris?

Raysa França

Raysa, 21 anos, vegana, belo-horizontina e mineira de coração. Estudante de ciências sociais, apaixonada com pessoas, animais, viagens, desenhos animados, culinária e cabelos.







comments


Leave a Comment

dicas, penteados, cortes e muito mais!

Inspirações

Segue o Cacheia no Pinterest!
Quero seguir!
close-link