Dicas para escolher produtos capilares adequados para as crianças

Na hora de comprar produtos adequados para as crianças, muita gente fica na dúvida e às vezes nem se dá conta do quanto essa decisão é importante. Aqui no blog, todos os dias muitas leitoras buscam informações sobre os melhores produtos para cuidar das madeixas dos pequenos.

Como vocês sabem, nós aqui do Cacheia não somos dermatologistas, nem formadas em qualquer área da saúde. Nesse sentido, o ideal é sempre procurar a orientação de um profissional. Por outro lado, existem informações básicas que podem ajudar papais e mamães na hora de escolher os cosméticos capilares. Confira só!

Algumas diferenças entre pele de criança e pele de adulto

Antes de incorporar qualquer produto à rotina do seu filho ou filha, tenha em mente que a pele das crianças é mais fina e sensível que a pele de um adulto. Por isso mesmo, é recomendável usar produtos formulados especificamente para o público infantil. Num artigo muito interessante sobre o tema, chamado “Procedimentos estéticos e público infantil: Uma pesquisa sobre os riscos e tendências entre crianças de 8 a 11 anos de idade” as autoras destacam que a pele infantil se irrita com facilidade porque suas estruturas ainda são jovens, imaturas. Assim, ela é facilmente permeável por agentes externos que podem ser prejudiciais. Outra diferença importante é o sebo capilar, que é produzido em menor quantidade em relação aos adultos. (Nunes, G. R., & BOSCO, P. C. D., 2011, p.05)

Dicas para escolher produtos capilares adequados para as crianças

1- Cuidado com a composição

Eu sei o que você está pensando: “Se o produto é pra criança, claro que não vai dar alergia!“. Pois é, isso é exatamente o que o consumidor espera. Mas se tem uma coisa que a gente vai aprendendo quando começa a cuidar do cabelo natural é que “desconfiar” nunca é demais e ler a composição dos cosméticos é essencial. Esse hábito é super importante para evitar componentes que podem provocar reações nada legais para a pele dos pequenos. Quer um exemplo?

Em textos sobre a relação entre os cosméticos e o cabelo infantil, é muito comum encontrar alertas sobre o uso de produtos com certos tipos de conservante. Entre os conservantes utilizados pela indústria cosmética e que podem causar coceira em algumas pessoas estão por exemplo, o ácido benzóico (Benzoic acid) e o ácido sórbico (sorbic acid). As autoras daquele trabalho que mencionei anteriormente também citam os parabenos (methylparaben; ethylparaben; butylparaben; propylparaben), presença frequente nos produtos para cabelos.  Segundo elas, esses conservantes “[…] são pouco tóxicos e sensibilizantes fracos, porém, a exposição crônica a estes agentes gera eritema  e descamação suave”. (Nunes, G. R., & BOSCO, P. C. D., 2011, p.13-14)

E antes que vocês corram na prateleira das crianças para jogar tudo que tem lá fora, vale lembrar que o objetivo dessa postagem não é gerar pânico. O cuidado em relação à composição dos produtos  é uma recomendação geral,  mas que pode ser discutida em conjunto com o profissional que acompanha o desenvolvimento do seu filho(a).  

2- Atenção ao pH

Na hora de escolher um produto, principalmente o shampoo, fique atenta(o) ao pH. Você sabia que os shampoos específicos para os pequeninos possuem pH neutro para evitar ardor nos olhos ou até mesmo a remoção em excesso de lipídios da superfície da pele? Pois é, isso prova que os produtos para lavagem não são todos iguais, então bora escolher com consciência! 

O ideal é que esses shampoos façam uma limpeza suave. Nesse sentido, uma recomendação recorrente é passar longe de detergentes fortes muito utilizados no “mundo dos adultos” como o Lauril sulfato de sódio (Sodium lauryl sulfate) por exemplo. (SIQUEIRA & MEJIA, p.06-11)

3- Atenção aos aromatizantes e corantes

Os produtos que simulam o cheiro e/ou a cor de certos alimentos como aqueles com cheirinho de morango, podem ser verdadeiras tentações para as crianças! (SIQUEIRA & MEJIA, p.06-11) Para evitar que elas sejam levadas a ingerir o cosméticos, uma possibilidade é adquirir produtos com aromas mais suaves.

Tá bom vai! A gente sabe que o que mais tem nesse mercado de produtos para cabelo infantil são os tais cheirinhos de chiclete, chocolate, etc. Por isso uma segunda recomendação para o caso de quem já tem um produto do tipo em casa é manter longe do alcance das crianças. 

4- Rotina sem neura

Quando o assunto são os cuidados com os cachinhos das crianças, sempre destacamos aqui no blog que a hora de desembaraçar, tratar ou finalizar o cabelo não deve ser um momento desagradável. Ou seja: nada de exagerar na força ao pentear os fios, desembaraçar o cabelo seco, e por aí vai.

Além disso, também já abordamos aqui a importância de incentivar que as crianças gostem do próprio cabelo e que inclusive ajudem da forma como podem nessa rotina de cuidados, o que pode significar por exemplo, ensinar a criança a fazer cachinhos com os dedos, um penteado bem simples, etc Nesse caso, uma boa prática é encontrar o ponto de equilíbrio para evitar um incentivo à vaidade exagerada. Criança tem que ser criança! Tem que brincar, correr por aí e se despentear! Se nem pra gente a obsessão por ter sempre um cabelo sem frizz e com cachos definidos é saudável, imagine só projetar essa expectativa nas crianças! 

Nessa empolgação toda com o uso do cabelo natural, não é incomum encontrar mães e/ou pais que acabam reproduzindo no cabelo dos pequenos os mesmos cuidados que adotam para si. Mas as rotinas que podem fazer maravilhas no cabelo dos adultos nem sempre são necessárias no cabelo das crianças. Cuidado com os excessos!

5- Tratamento de acordo com a idade

As crianças possuem necessidades específicas de acordo com a faixa etária. Para entender melhor esse processo e escolher de forma adequada os produtos utilizados é essencial pesquisar sobre o tema, ler bastante e buscar a orientação de um profissional sempre que pintar alguma dúvida.

6. O poder da decisão final

Nos dias atuais, a influência dos filhos na decisão de compra dos pais é um fato em muitas famílias, por isso é interessante reforçar o óbvio: a escolha dos produtos não deve levar em consideração apenas as características que geralmente atraem esse público como o desenho de um personagem, as cores, o formato da embalagem, etc.  Aqui também é importante que os pais encontrem o equilíbrio para evitar o incentivo ao consumismo nas crianças. Os critérios finais para a escolha devem ser objetivos e considerar aquilo que é mais adequado e seguro para os pequenos.

Sugestões de leitura:

8 Dicas para cuidar do cabelo do cabelo cacheado seu filho ou filha

Bibliografia

NUNES, Graciele Rodrigues; BOSCO, Priscila Campos Dal. Procedimentos estéticos e público infantil: Uma pesquisa sobre os riscos e tendências entre crianças de 8 a 11 anos de idade. Universidade do Vale do Itajaí, Santa Catarina, 2011. Disponível em <siaibib01.univali.br/pdf/Graciele%20Nunes,%20Priscila%20Dal%20Bosco.pdf>

SIQUEIRA, Tatiana; MEJIA, Dayana Priscila Maia. A importância da utilização dos dermocosméticos na pele infantil. Disponível em: <http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/201/6-A_importYncia_da_utilizaYYo_dos_dermocosmYticos_na_pele_infantil.pdf>

Foto de capa:

Photo by Patricia Prudente on Unsplash

Atenção: Esse texto é resultado de pesquisa bibliográfica de artigos sobre o tema cosméticos capilares e as crianças. A postagem contém informações de domínio público e não deve ser interpretada como aconselhamento médico. Em caso de dúvidas, não hesite em procurar orientação especializada.

Maressa De Sousa

Maressa, 23 anos, baiana. Mestranda em Antropologia. Ama filmes e livros de ficção e aventura. Para ela, a transição capilar marcou o início de muitas outras transformações.







comments


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.