Cabelo cacheado/crespo: Identidade ou modinha?

  • Home
  • Pessoal
  • Cabelo cacheado/crespo: Identidade ou modinha?
cacheia

Eu quando era linda. (3 anos)

Ter o cabelo cacheado não foi algo que eu escolhi ou optei. Eu nasci assim, e isso sabemos que não se pode mudar. Por mais que eu tenha passado boa parte da minha vida tentando alisar e modificar as minhas madeixas, quando meu cabelo crescia alguns centímetros, logo era possível notar que a minha raiz, aquela que crescia de dentro pra fora, era mesmo cacheada.

Não é de hoje que eu venho lutando pra recuperar os meus cachinhos, e nesse meio tempo tive que aturar muita gente dizendo coisas absurdas, inclusive que “eu estava deixando meu cabelo cachear porque estava na moda”.

Mas espera aí! Afinal, assumir o cabelo cacheado é identidade ou modinha?

De fato, a “moda” dos cabelos cacheados vem ocupando um espaço significativo na mídia. É normal muita gente dizer que voltou a usar os cabelos cacheados porque viu a Taís Araújo ou a Sheron Menezes na Tv.  Mas o que muita gente não sabe, é que o motivo de muitas pessoas, principalmente nós mulheres, aCabelo cacheado: identidade ou modinhassumirem seus cabelos cacheados é porque estão atentas à revolução cacheada que está acontecendo. (Leiam o post que a Raysa fez esses dias, e vocês entenderão direitinho do que se trata essa revolução.)

Quando comecei com essa coisa de deixar meu cabelo cachear novamente (sim, na época era apenas uma “coisa”), eu não fazia ideia dos rumos que essa decisão iriam tomar. A princípio, eu só queria ter meus cachos de volta, mas aos poucos  fui percebendo a importância da aceitação, não só do meu cabelo, mas também das minhas raízes. Saber que eu nasci com essas molinhas, porque vim de uma mistura de raças, e entender que aceitar essa mistura faz parte da construção da minha identidade.

Foi aí, que eu comecei a perceber que a escolha de voltar a cachear não se tratava apenas de estética ou “modinha”, e hoje, trato essa escolha como um ato político. E assumir essa bandeira, vai muita além de uma simples conversa de salão de beleza; é não só aceitar-se como é, mas também externizar essa aceitação, e mostrar pra “todo o mundo” que você não está “nem aí” pra essa porcaria de “padrão de beleza”, e que a sua identidade é muito mais importante que os estereótipos que tentam nos impor.

 

Ster Nascimento

Ster Nascimento, 22 anos. Gosto do meu cabelo cacheado, do meu descontrole sem pé nem cabeça, do meu 8 ou 80 e da minha zarreza perceptível. As vezes sou um amor de pessoa.







comments

Comentários

Eu amo teu cabelo *__*

Obrigada! :)

Copiei parte do seu texto , adaptei um poquinho e publiquei na minha página. Espero que não se importe #seucabeloelindo

Oi Lenny, tudo bem? Certamente a Ster vai se importar. Todos os textos publicados aqui são originais e escritos especialmente para o blog. Para levar trechos das reflexões postadas aqui o ideal é pedir permissão e sempre dar os devidos créditos, isso é um modo de demonstrar respeito pela autoria e dedicação dela. Por que você não compartilha com a gente o link onde postou parte do conteúdo do Cacheia?

Gostei do post. Parabéns. Acredito que existe sim uma “moda” mas opoio quem queira assumir os cachos nesse momento, acho que a moda passa mas os cachos continuam.

Ah, convido vocês meninas e suas leitora á conhecerem meu blog que dá dicas de cuidados para cabelos cacheados, espero que vocês possam visitá-lo! Beijos

http://www.manualdoscachos.com/

Obrigada! Visitarei sim, sem dúvidas.

Eu comecei a alisar meu cabelo porque sempre achei o cabelo liso mais fácil e prático de cuidar ( e tb pq era moda e todo mundo sugeria). Além disso, sempre que ia a um salão querendo cortar, fazer qq coisa diferente, sempre ouvia: “No teu tipo de cabelo não mexo”. Eu até me perguntava, q tipo de cabelereiro era aquele q não sabia cuidar de um cabelo cacheado. Sempre usei o cabelo preso por ser mega volumoso. Alisei, cortei, pintei, fiz muita coisa que tinha vontade, e não me arrependo, valeu a experiência. Mas sentia saudades dos meus cachos, de olhar p mim no espelho e me ver!! ai, fui ao Brasil de férias (eu moro na Alemanha) e observei que as meninas agora na sua maioria tem cabelos longos, loiros e lisos..que raio de padrão estamos enraizando!!! Voltei de férias e com idéias encaracoladas na cabeça…Se os cachos são apenas modinha, eu acho é muito bom, mas eu decidi voltar às minhas origens, pq é assim que me sinto mais “eu”. Hoje eu me aceito, eu não to nem ai se alguém não o faz! Não gostou? vai ver uma progressiva lá na esquina, fia!!! Tô sussa nos meu cachos!!! E devo dizer que tanto o blog quanto a página no face são incríveis e ajudam demais a cuidar cade vez melhor das nossas molinhas. Parabéns a vcs, meninas, pela iniciativa!! E viva as cachudas!!!!

Fernanda obrigada pelos elogios. É ótimo ver que ajudamos vocês, e o importante é se amar e aceitar a nossa natureza! E o resto não importa. Beijos!

Eu fiz transição meio forçada por n ter condições de relaxar o cabelo com certa frequencia. passei uns 6 meses com o cabelo crescendo e decidi q n ia mais fazer nenhuma quimica no meu cabelo. 1º pq eu n tinha condiçoes de retocar a cada 3 meses
2º q cansei de lutar contra minha propria natureza
3º cansei da ditadura do faça assim q vc ficará bonita.

Entao procurei videos de como cuidar de cabelo cacheados, e para a minha surpresa tinha varias meninas que se encontravam na mesma situação q eu. Me senti acolhida, afinal n era só eu q estava farta de fazer tanta quimica no cabelo. Foi uma fase de aceitação.Elas me encorajaram de fazer o bc, através de videos de tantas garotas lindas eu renasci dos meus cachos. Com uns 9 meses de transição cortei a parte lisa e estou super satisfeita cmg mesma pq sou eu, é meu e ninguém pode dizer ou ditar como eu sou ou como eu nasci. queria agradecer cada uma por isso. os videos, blogs, etc sao muito importantes para todas as meninas em transição.

Beijos

ps.: o blog eh maravilhoso <3

Oi Richelle fico tão feliz que goste do nosso blog. Foi lindo ler sua história, sei bem como é passei por uma situação parecida com a sua. Beijos!

Tem que ser muito sem-noção pra dizer que essa recente onda de mulheres voltando ao cabelo natural é modinha. obviamente não falo da autora do texto, mas dessas pessoas por aí que acham que porque ao invés de 90% da população feminina estar fazendo progressiva temos 60% significa que é modinha não fazer. Cabelo crespo/cacheado ainda não é bem aceito pela sociedade, então tem que ter muita coragem pra se “assumir”, principalmente para aquelas que tem cabelo volumoso. Não gosto do termo, principalmente, porque denota que as mulheres fazem isso pra se encaixar em algo e, na verdade, pra muitas que eu conheço é simplesmente voltar a se encaixar em si mesma. Enfim, não consigo nem levar muito a sério quem fala que é modinha, pois essa pessoa mostra que vê tudo muito superficialmente.

Se cabelo cacheado fosse modinha, eu não tava sofrendo (e ouvindo) tanto para aceitar! haha

aiai, algumas pessoas são engraçadas =P

Exato, é mais que cabelo ,é ancestralidade ,cultura ,aceitação e muitas outras coisas :)

[…] queridos, eu quase tive um ataque do miocárdio quando ele disse isso. Como se fosse muito fácil assumir o cabelo crespo e cacheado nesse mundo de hoje. Eu não estou pregando o meu pai na cruz, tá gente? Na verdade, o que ele […]

Olá Ster. Parabéns pelo texto.
Também escrevi sobre em meu blog.
Tá uma olhada lá, e se gostar me segue. bj

http://www.gatacrespacacheada.blogspot.com.br/2014/07/globo-nao-e-moda-e-david-luiz-esta.html

Obrigada Aline. Fico feliz que tenha gostado. É claro que vou dar uma passadinha por lá! Muito obrigada pela visitinha e pela participação. Beijinho :*

[…] cabelo cacheado e crespo fossem modinha, eu não teria tanta dificuldade pra escrever esse post. Dificuldade porquê a maioria das atrizes […]

[…] Aparentemente, parece uma matéria qualquer, sobre como a estética midiática influencia as pessoas. Mas se paramos para pensar, percebemos que durante muito tempo, temos nos contagiado pela padronização de uma beleza estereotipada que nos é imposta de uma forma nada sutil. (Como falei do post Cabelo cacheado, identidade ou modinha?) […]

Minha mãe tem o cabelo bem enroladinho, mas faz escova toda semana “/ ja tentei de todos os meios convence-la que não precisamos seguir esse padrão de beleza. Meu cabelo é ondulado, adoro cabelo cheio, volumoso *-* Nunca fiz nada pra deixa-lo liso ou com menos volume, sempre gostei assim. Adorei seu blog e vou mostra-lo pra minha mae, quem sabe ela mude de ideia haha

Ei, parabéns pela sua autenticidade, e vou torcer pra sua mãe assumir os cachinhos! beijo

Acho lindo este ato politico, mas discordo quando as pessoas que fazem parte deste manifesto querem impor que todos usem os cabelos ondulados… Eu por exemplo, não curto o meu cabelo cacheado, não me sinto bem e não é pq ninguém me impôs isso. Sempre tive aquela personalidade de: Não ligo pra que os outros dizem =) Aliso meu cabelo com frequencia e é uma questão de me sentir bem. Tentei até deixar ele enrolado, mas não me senti bem. Me sinto melhor assim, com meu cabelo alisado, mas apoio super todas as cacheadas e as acho linda. Adorei o post !!!

Camila, tudo bem? Eu também não acho isso legal, sabe. Por um tempo até ficava chateada com minha mãe porque ela relaxava o dela.Agora, eu sei que cada pessoa deve fazer com o cabelo o que acha melhor, desde que se sinta bem. Mas é claro que ao assumir o meu cabelo natural, percebi o quão benéfico e satisfatório foi ter tomado essa decisão, e por conta disso, tenho tentado propaga-la, e mostrar pra outras pessoas o quão libertador é. Mas impor isso, é desconstruir um padrão e querer construir outro.E isso não é certo. Portanto, se vc se sente feliz assim, então continue assim!Mas, mesmo quimicada, não se esqueça dos cuidados com o seu cabelo, e esteja sempre atenta às dicas e receitinhas aqui do blog! beijão mocinha! :)

[…] dos seus cabelos? E por que agora? Apesar de muitos pensarem que é mero modismo (veja o link: Cabelo cacheado: identidade ou modinha), a resposta é simples e direta: as pessoas estão se amando […]

Quando decidi usar definitivamente meus lindos cachinhos, senti que tudo dentro de mim mudou.
E percebi que havia um ideal pelo qual vale a pena lutar: O direito de ser eu mesma. De ter acima de tudo minha própria
identidade, sem padrões, sem rótulos… Que meu cabelo é bom sim, que sou bonita do jeito que sou e apenas isso me basta!

Andreza, que liiinda! Parabéns pela mudança. Esse é o principal objetivo de assumir o cabelo natural :D

Lindas são vcs que me incentivam e inspiram… Sempre!!! S2

Andreza, fico muito feliz em poder ajuda-la! Muito obrigada pelo carinho. Um beijoo :*

Estou simplesmente encantada com todo o conteúdo de vocês!

Bem, minha saga do alisa começou aos 11 aninhos. Porque a cabeleireira disse que era a “melhor opção”, e assim começou relaxamento pra cá, definitiva pra lá. Até que eu resolvi deixar o meu querido cabelo crescer, 7 meses, e então não aguentei e fiz um relaxamento, dois meses passaram. Queria ter conhecido a página antes e também conhecer mais cacheadas, que são um incentivo para quem está em transição. Agora uma terrível dúvida, como começar tudo de novo?

Olá Jéssica, mas não nada que façamos no nosso cabelo que seja irremediável. Claro que você deve começar a transição! Siga esses passos aqui: http://cacheia.com/2015/01/passo-a-passo-para-quem-quer-assumir-o-cabelo-crespo/ beijo :*


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.