BC: Aceitação X Aprovação

Contei para uma amiga: “hoje faz 3 anos que eu cortei o meu cabelo e tirei toda química.” Ela não me conhecia na época e achou engraçado o fato de eu saber a data de um corte de cabelo. Só sabe a importância de um BC quem passa por um, é fato.

Na verdade, eu não lembrava a data de cor e nem precisava sabê-la para lembrar o quanto aquele dia foi especial para mim, o quanto me senti livre e eu mesma, por mais estranho que isso pareça. Na época, nem sabia que BC tinha nome nem que os meses que eu havia ficado sem alisar o cabelo eram uma fase de transição.

Mesmo que inconscientemente, me preparei para a data do bc, como já contei em “Por que tanto medo do BC, afinal?“. Na verdade, me preparei para uma guerra. Meu rosto sempre foi gordinho daqueles que todo mundo diz que não combina com o cabelo curto, então eu não sabia nem se eu mesma ia gostar do resultado, mas estava preparada para rebater todas as criticas que viessem. Decidi que iria cortar, passei no salão, marquei para aquele mesmo dia, voltei em casa, contei para minha mãe e no horário marcado voltei lá para cortar. Nem namorado ficou sabendo.

A minha primeira sensação pós corte foi um misto de euforia com estranheza e, claro, ansiedade. Estava preparada para ouvir comentários ruins. Felizmente, todas as pessoas da minha casa foram receptivas. Meu pai e meu irmão (que sempre defenderam meu cabelo natural) amaram, minha mãe adorou e meu namorado, hoje namorido e pai do meu filho, também. Claro que eles demoraram um pouco para se acostumar, né? Sai com o cabelo alisado e grande e volto com ele curto e cacheado… Né, tempo ao tempo, minha gente.

bc-aceitacao-x-aprovacao

Uma das minhas primeiras fotos pós BC

No ato do corte meu cabelo cacheou e pela primeira vez comecei a usar a franja crespa como o resto do cabelo e a gostar do meu rosto redondo com cabelo curto. – pode, SIM! – No mesmo dia já estava me divertindo amassando o cabelo e fazendo cachinhos, mas ainda tinha aquele receio: “o que meus amigos vão falar?” “será que alguém ainda vai me achar bonita?” “será que fiquei com cara de homem?”

Ou seja, na teoria eu já tinha me aceitado, mas na prática, por mais bem resolvida que eu fosse (e ainda sou), precisava de opiniões, mesmo que contrárias à minha decisão¹, para saber que, sim, eu estava bonita. E é aí que a aceitação se mistura com a aprovação.

 nota¹:  Aí você deve estar pensado: “essa menina não tá falando nada com nada”, pois explico: sabe aquela pessoa teimosa e orgulhosa? Prazer, sou eu. Se você falar “você não pode fazer isso”, pode ter certeza que eu vou fazer só para provar que eu posso, sabe como é? Então, se alguém me falasse que meu cabelo tava feio, aí que eu ia encher o peito de coragem e jogar meus cachos na cara da sociedade.

Aceitação e aprovação são sinônimos no dicionário, que vê os dois do mesmo ponto de vista “eu aceito isso, eu aprovo isso.” Olhando sob o ponto de vista de uma cacheada com cabelo alisado passando pela transição e querendo cortar, aceitação é se aceitar tal como é e aprovação é receber aquele like no Cacheadas em Transição depois do BC e, pior ainda, dos amigos, dos pais, do namorado…

Aceitação e aprovação se misturam e no meu caso não foi diferente. O fato é que é muito mais fácil se aceitar quando nos sentimos aprovadas, quando as pessoas elogiam nosso cabelo e até nossa atitude e isso é perfeitamente normal. TODOS nós precisamos nos sentir aceitos, taí o Facebook que não me deixa mentir. Ele fez da nossa vida uma capa da Caras e adoramos isso! Adoramos postar uma foto e ver todo mundo curtindo. Adoramos postar uma opinião e ver que todos concordaram. Faz bem para o ego!

Mas precisamos tomar cuidado. Sim, cuidado! Cuidado para lembramos que somos mais que um like no Facebook. Cuidado para lembrarmos porque começamos tudo isso. Você ainda lembra? Por que cansou de alisar? Por que sentiu saudades dos cachos? Você rompeu com padrões. Você cansou. Você quis ser você!

Quando rompemos com padrões, nós mudamos, mas as pessoas que nos cercam, não (pelo menos não necessariamente). Esquecemos que as vezes foram nossas mães que alisaram nosso cabelo ou que nos apoiaram. Esquecemos que todas nossas amigas também alisam ou que nosso namorado é cercado por mulheres alisadas. Nós cansamos, eles não. Por isso, não tem sentido nenhum deixarmos nossa própria aceitação nas mãos deles. Eles precisam entender tudo isso primeiro.

O que eu to querendo dizer?

Que você precisa se aceitar independente da opinião do outro. Que eles podem até não concordar, mas precisam te respeitar. Que vão ter pessoas para te dizer que seu cabelo ficou feio, mas e daí? Você precisa ser você e isso basta.

Ah, e se o namorado falou que vai te largar se você fizer o BC, tenha a bondade de abrir a porta para ele. VAZA!

#BCCOLETIVOCACHEIA

Não aguenta mais as duas texturas do seu cabelo? Dos meses em transição sem ver cacho nenhum? Então, se aceite e Cacheia com a gente! Amamhã, 18 de junho, faremos um bc coletivo. Para participar, é só fazer o BC e mandar a foto (uma e com boa resolução) e/ou um vídeo. Se quiser, envie também um pequeno texto com a sua história capilar. Faremos um álbum com todas as fotos enviadas!

 

Beijos, Mari

Mariana

Mariana Boaretto, 27 anos, paulistana. Mãe-coruja do Lorenzo e da Giovana, formada em Comunicação e cursando MBA em Marketing. Descobriu sua paixão pelos cachos há 6 anos e adora compartilhar dicas de cuidados, aceitação e empoderamento feminino.







comments

Comentários

No começo eu não tive aprovação de ninguém. Minha mãe me criticava o tempo todo por cortar tanto o cabelo (pra ela cabelo só é bonito se estiver grande). Eu tive que me virar sozinha pra me aceitar, e provar para os outros que tinha um objetivo. E confesso que me preocupei com a opinião dos outros, e tinha muito medo de sair na rua e não saber reagir às criticas alheias. No fim, só o que importou foi a minha decisão! Adorei o post Mari :)

Pois é, Ster, foi o que eu falei no começo… a tal ditadura do cabelo comprido… que mulher tem que ter cabelo grande, principalmente na nossa idade. Mas temos que lembrar que com certeza sua mãe não falou por mal, mas sim porque alguém ensinou isso para ela e passou a ser a verdade dela. E isso, claro, dificulta nosso processo de aceitação, né?

Graças a Deus, lá em casa foi apoio 100%. Até porque minha mãe usa cabelo curto há muuuuuuuuitos anos e sempre me ensinou a cortá-lo. rs Além disso, eles sempre gostaram do meu cabelo natural e apoiaram <3

Claro que algumas pessoas não gostaram, mas foram poucas que tiveram coragem de me falar e, olha, entrou por um ouvido e saiu pelo o outro.

Que bom que fomos fortes, né? Senão não estariamos aqui hoje <3
Fico feliz que tenha gostado do post!
Um beijo!

Oi Mariana e todas as meninas que escrevem este site muito bacana!
Descobri vcs ontem e fiquei muito feliz de ver tanta coisa sobre os cachinhos nossos. ^^
Vim mesmo deixar meu recado de agradecimento e meu depoimento sobre aceitação dos cachos.
Eu fiz a transição tem mais de 5 anos, na época não via nada que falava sobre o assunto. Então fiz todo o processo que a Mariana relata neste e em outro post sem nenhuma orientação, simplesmente percebi que meu cabelo não aguentava mais aquela química toda. E foi a melhor coisa que eu fiz! Hoje cortei mais curtinho do que na época para retirar o alisamento, e cada vez mais acredito que nós podemos fazer tudo (TUDO) que quisermos com o nosso cabelo, pq ele é lindo!
Minha identidade está tão forte com os meus cabelos que só agora lendo vcs é que dei conta disso. Mando um link abaixo de um texto que fiz recentemente sobre essa identificação. Espero que gostem. Sucesso!
http://talitaleandro.tumblr.com/post/85834160881/cabelo-cabelo-meu

Oi, Talita!
É sempre muito legal ver comentários como o seu. Fiquei muito feliz :)
Sim, podemos TUDO! Bato sempre nessa tecla. Podemos ter cabelo curto, colorido, armado, como quisermos. E nos aceitar assim é um tapa na cara dessa sociedade que quer ver todo mundo com o mesmo cabelo produzido em série.

To indo dormir agora, mas amanhã lerei seu post com calma!
Já conhece nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/blogcacheia ?

Um beijo e obrigada pelo comentário, Mari.

Curti a página! =*

Genteeeee, adoro vcs! Sempre tive o cabelo relaxado, alisado, progressivado… rsrsrs e cansei! Fui cortando, cortando e agora devo ter uns 3 dedos de cabelo liso e a raiz já está toooooda cacheada! Não tive apoio nenhum em casa! Minha mãe me chamou de louca, pois foram 20 anos de muita química e cabelos longos e lisos… Hoje ele está curtinho e todos os meus amigos dizem que rejuvenesci! Graças a depoimentos iguais ao seu que me enchi de coragem e hoje estou amando meus cabelos naturais, como a muito tempo eu não via!!! Obrigadão!!!! Bjoks

Obrigadaaaa!! Qualquer coisa que precisar pode contar com a gente sempre <3

[…] de leitura:  BC – O que é e por que fazer?  , Por que tanto medo do BC, afinal? BC: Aceitação x Aprovação , O Scab Hair existe? O que é e como tratar o cabelo pós […]

Responder

Gisele Caroline Nascimento

Mari, adorei td o que vc escreveu! Ate parece que vc estava falando de mim….rsrsrs
Estou há um ano em trasição, e marquei meu BC pra semana que vem (dia 06/02/15).
Estou realmente decidida, não aguento mais lavar o cabelo, fazer escova, chapinha e depois prender com um rabo de cavalo. todas as festas tenho que ir de cabelo preso, foto do passaporte e da CNH com ele preso (horrivel por sinal…rsrsrs). Depois de ter lido tudo isso, fiquei mais empolgada ainda, não vejo a hora de acabar com isso.
Quando fizer o BC volto aqui pra te contar como foi!!
Bjusss
E Obrigada!!!! :)

Oi, Gisele!
Fico MUITO feliz em ter ajudado, nem que seja um pouquinho. Gosto de fazer posts sobre BC por isso, para tentar ser aquele “despertador” na vida de alguém.

Não deixe de me avisar quando fizer o BC e mandar foto lá para o Cacheia para postarmos! https://www.facebook.com/blogcacheia

Um beijo grande e obrigada pelo comentário!

Responder

Gisele Caroline Nascimento

Mari, bom dia!!!!

É hj o grande dia!!! Estou tão ansiosa, que de três dias pra cá me deu crise alérgica, sensação de mal estar no corpo, aftas e td mais….rsrsrs Meu corpo sempre reage ao meu estado emocional.

Mas não voltei atrás, e estou super empolgada!!! Qro muito ver como vai ficar!
Nervos á flor da pele, mas vamos lá, um passo pra liberdade!!

Obrigada Mari.
Amanhã mando a foto de como ficou.

Bjuuuussss!!
Ótimo dia pra vcs!!

Aiiiiiiiiiii, que emoção!

Vai com tudo, flor, é LIBERTADOR!
Quero ver a foto!

Beija, respira, fica calma e SE JOGA! :D

Gisele Caroline Nascimento

Oi Mari!!! Td bem?

Fiz o BC!! To amando!!! Quase que eu não consigo ir, fui até pro hospital no dia…rsrsrs

Foi a melhor coisa que eu fiz, a mi nha vontade de cortar fez com que eu aceitasse meu cabelo do jeito que ele é, apesar de ainda estar descobrindo como é cuidar dele e fazer todas as hidratações e penteados, simplesmente estou amando.

E muita gente falou que meu cabelo natural combina muito mais comigo, fica muito mais bonito.

Hj fazem 6 dias, e não me arrependo nenhum pouco de ter cortado.

Como faço pra te mandar a foto?

Bjusss

Aiiiiiiiiiiiiii, que emoção!
Fico muito muito muito feliz, Gisele!
Parabéns e se precisar de alguma coisa, pode contar comigo!

Manda a foto pr mensagem lá no Facebook e pede para avisarem a Mari porque quero muito ver e publicar sua foto!
https://www.facebook.com/blogcacheia

Um beijo!

Oiii Mari, meu nome é Gilma, tenho 19 anos e estava na transição desde junho do ano passado (na verdade fiz minha ultima selagem no dia 03/05/2014), fiz algumas anotações como: ultima selagem, ultimas chapinhas e finalmente ultimo corte! No dia 14/02/2015 tomei coragem e fiz meu BC… foi uma decisão muito dificil, primeiramente, pq ODEIO meu cabelo amarrado e tinha muito medo do que as pessoas iam dizer se eu cortasse toda a quimica…. mas nesse dia crie coragem e fui no salão, cortei toda a quimica do meu cabelo e me sinto LIVREEEEE… ainda estou nessa fase de Aceitação x Aprovação, mas após ler esse lindo texto fico a cada dia mais segura.

Bjinhos e Obrigada pela Força.

Oi, Gilma!
Como é bom ler isso :) Parabéns pela sua decisão, parabéns pela sua força, pela coragem. Só quem já passou por isso sabe e, acredite, vamos nos adaptando, nos conhecendo, nos AMANDO!
Acho que esse post aqui pode te ajudar também: http://cacheia.com/2014/05/4-dicas-para-driblar-a-inseguranca-do-bc-com-acessorios/

Beijos e se precisar desabafar, quiser dicas, conselhos, mandar foto, estamos aqui!

Um beijo!

[…] eu só queria ter meus cachos de volta, mas aos poucos  fui percebendo a importância da aceitação, não só do meu cabelo, mas também das minhas raízes. Saber que eu nasci com essas molinhas, […]

Mariana, tudo bem?

Comecei a ler o blog de vocês procurando na internet sobre a TRANSIÇÃO do cabelo.
Comecei a procurar inicialmente por penteados que posso fazer para disfarçar essa diferença de textura. Ainda estou no inicio, tenho só 4 dedos de cabelo natural e o comprimento atual é médio com BASTANTE progressiva.
Vou te falar que está sendo bem difícil, que estou no meio do muro. Comecei a relaxar meu cabelo com 5 anos de idade, meu cabelo armava muito e minha mãe tinha dificuldade de arrumar ele, pra falar a verdade não me lembro de como é o meu cabelo realmente, sempre tive ele escovado. Mas no atual momento estou cansada de ser refém do salão, de não poder entrar na piscina pra não perder a escova, de olhar para o espelho e ver aquele cabelo cheio de pontas e quebrados pela química por mais hidratação que eu faça!
Quero poder saber como é o meu cabelo mesmo e conseguir usar ele, enfrentando os preconceitos! A parte mais difícil será minha família, que já deixou claro que quando estou de cabelo cacheado eu fico feia e pra te falar a verdade dói e é difícil de enfrentar!
Então eu conto com o blog pra me dar o apoio e agradecer pelas dicas que vão me fazer chegar no resultado almejado!
Parabéns pelo blog!!!

Oi, Pâmella!
Primeiro, sinta-se abraçada e acolhida! A fase de transição é difícil mesmo e aprender a lidar com a aprovação dos outros é uma das partes mais difícies, na minha opinião. Ainda mais quando as pessoas ao nosso redor se colocam contra. Te desejo muita força nessa fase e conte com o Cacheia para que o precisar!

Recomendo que você leia esse texto aqui: http://cacheia.com/2015/01/passo-a-passo-para-quem-quer-assumir-o-cabelo-crespo/

Nele você vai encontrar um guia sobre tudo que já falamos aqui no blog sobre transição e bc: desde aceitação, empoderamento até técnicas para te ajudar nessa fase.

Não desista! É recompensador!

Um beijo e conte comigo!

Olar meninas!
Quando era pequena tinha o cabelo bem comprido e, não sei o que minha mãe fazia, mas ele era liso! Quando fui ficando mais velha e preocupada com aparência, procurava sempre produtos para cabelos lisos e achava que o problema do meu cabelo era que ele tinha muito volume e não tinha forma. Aos 14 anos, quando comecei a frequentar um escola com um padrão de beleza muito forte na época acabei fazendo progressiva. Me arrependo amargamente até hoje. Meu ensino médio inteiro foi um período de descoberta pessoal, namorava um cara que queria muito e me pedia que deixasse o cabelo comprido e liso (como todas as outras garotas da escola), minha mãe , que faz progressiva há anos, apoiava. As “amigas” todas de cabelo liso, as “populares” esbanjando aqueles longos fios escorridos. Me sentia muito mal por não ser igual a elas, mas me sentia pior ainda por ter passado por um processo químico que eu não queria, que fez meu cabelo cair e tirou toda minha liberdade de pular na piscina, ir a praia e, olha só, tomar banho de chuva <3. Fim de ensino médio, fim de namoro, fim de amarras que me impedissem de ser eu mesma. Parei com as químicas e deixei o cabelo crescer. Curti cada etapa e foi maravilhoso! Hoje tenho o cabelo curto, não pelo BC, mas pq passei por uma fase in love por cabelo curto e agora estou em busca do meu ultra cabelão cacheado e volumoso! Penso em fazer uma página no face, vlog ou algo do tipo pra contar minha experiencia e espalhar a palavra por ai haha Pleno 2015 e ainda vejo muuuuita gata cacheada por ai se alisando atoa, por falta de informação. INCLUSIVE MINHA MÃE! Parabéns pelo trabalho! Beijos enrolados :*

Oi, Larissa!
Muito legal seu relato. Acho que resume a história da maioria de nós, né? Tudo para sermos aceitas…
Ainda bem que você despertou :)

Faça um blog, sim, tem muita gente ainda precisando da nossa ajuda!

Um grande beijo!


Deixe um comentário

error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não deve ser copiado ou reproduzido sem permissão prévia e sem atribuição dos créditos. Blog Cacheia 2013-2016.